UOL Esporte Atletismo
 
29/08/2008 - 07h02

Na Liga de Ouro, Bolt volta às pistas para dar show; Murer compete

Das agências internacionais
Em Zurique (SUI)
Em seus primeiros 100 m rasos desde o triplo ouro conquistado com três recordes mundiais nos Jogos Olímpicos de Pequim, o jamaicano Usain Bolt está mais preocupado em divertir seus fãs do que em estabelecer novas marcas. Nesta sexta-feira, ele disputa a tradicional Liga de Ouro, na quinta e penúltima etapa da temporada, a partir das 15h.

EFE
Estrelas na China, Bolt e Isinbayeva posam em evento da Liga de Ouro, em Zurique
POWELL VOLTA A CORRER EM RIETI
PHELPS E BOLT ROUBAM A CENA
PHELPS: FOME DE CACHORRO-QUENTE
Depois de triunfar na etapa inaugural da competição, em Berlim, o recordista mundial dos 100 m (9s69) e 200 m rasos (19s30), o velocista chega à pista suíça como protagonista. Mas a hora é de curtir o momento, diz ele, que não deu chance aos seus rivais, e cativou com o seu jeito descontraído.

"Alcancei todos os meus objetivos, não tenho nada em particular para realizar no restante da temporada", admitiu Bolt, deixando transparecer que não deve tentar baixar sua marca já em Zurique, onde disputará apenas os 100 m. A prova terá grandes nomes, como Walter Dix, norte-americano que ficou com o bronze nos Jogos. A maior ausência é Asafa Powell, compatriota de Bolt e decepção na China, com apenas o quinto lugar na final.

O descanso do campeão olímpico ainda está longe. Depois de Zurique, ele volta a competir já na terça-feira, fazendo os 200 m em Lausanne. Três dias depois, em Bruxelas, na Bélgica, disputa os 100 m na etapa final da Liga de Ouro.

Outra grande estrela dos Jogos que estará na Suíça é a russa Yelena Isinbayeva, que voltou a bater o recorde mundial do salto com vara em Pequim, com 5,05 m. Ela terá a companhia da brasileira Fabiana Murer, sua colega de treinos em campings na Europa, que também aparece na lista de inscritas. Será a primeira competição da paulista desde o incidente olímpico em que uma de suas varas foi perdida, que resultou num adeus precoce na final da prova, com apenas o 10º lugar.

AFP
Vlasic acabou decepcionando em Pequim, por perder invencibilidade de 34 provas
BOLT PODE FAZER 9S52, DIZ TÉCNICO
BALANÇO DO ATLETISMO EM PEQUIM
Premiação dourada
Duas atletas lutam pelo prêmio máximo de US$ 1 milhão da Liga de Ouro, dado às maiores campeãs na temporada. A queniana Pamelo Jelimo, campeã olímpica nos 800 m, venceu as quatro etapas disputadas até aqui - no ano, seu aproveitamento é de 100%. O mesmo aconteceu com a croata Blanka Vlasic.

Vlasic, no entanto, vê a prova em Zurique como um meio de se reeguer. Em Pequim, ela ficou com a medalha de prata, mas chegou como favorita ao ouro, sem grandes adversárias. A belga Tia Hellebaut acabou vencendo e deu fim a uma invencibilidade de 34 provas da croata. "O fato de não ter conseguido aquele ouro só aumentou meu apetite para este final de temporada", avisou Vlasic.

Entre os 14 campeões olímpicos em Zurique, o cubano Dayron Robles terá mais uma chance de bater o recorde mundial dos 110 m com barreiras. Na China, ele foi ouro, mas não bateu a própria marca, de 12s87.

Já Maria Mutola, de 35 anos, fará sua despedida das pistas em torneios internacionais. A atleta de Moçambique foi campeã nos 800 m em Sydney-2000 e venceu três mundiais na carreira. "Será minha última prova. Zurique é um lugar muito bom para dar o meu adeus."

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host