Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://esporte.uol.com.br/futebol/album/2013/08/27/remanescentes-da-selecao-campea-mundial-em-1958.htm
  • totalImagens: 7
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130827113156
Fotos
Um dos maiores volantes da história do futebol brasileiro, Dino Sani, hoje aos 82 anos, vive em Alphaville, condomínio de luxo localizado em Barueri (SP). Já fora do mundo do futebol, é dono de inúmeros imóveis. Após encerrar a carreira no final dos anos 60, foi ser treinador, cargo que ocupou por pouco mais de duas décadas Folhapress Mais
Eterno capitão do Santos, Zito (à esquerda) segue morando na cidade praiana, hoje com 81 anos de idade. Titular na campanha do título de 58, e também do Mundial seguinte, Zito trabalhou por muito tempo, após encerrar a carreira, como dirigente nas categorias de base do Santos, sendo o descobridor de craques como Robinho e Neymar Acervo UH/Folhapress Mais
Mesmo não tendo jogado nenhuma partida da Copa de 1958, Moacir também faz parte do super-elenco campeão na Suécia. Após boa passagem pelo Flamengo, Moacir fez carreira pela América do Sul e se aposentou no Barcelona de Guayaquil em 1966, já aos 41 anos. Ele também exerceu a função de treinador no Equador, país em que reside até hoje, aos 77 anos. O ex-meia convive com um câncer de próstata e, em dificuldades financeiras, vive de doações de amigos para pagar o tratamento Acervo UH/Folhapress Mais
Um daqueles poucos jogadores que defenderam apenas um clube na carreira, o ex-ponta esquerda Pepe (na foto, à direita) fez história no Santos e também na seleção brasileira, onde conquistou os Mundiais de 1958 e 1962. Segundo maior artilheiro santista, atrás apenas de Pelé, Pepe trabalhou também por quase 40 anos como treinador, após pendurar as chuteiras. Entre suas maiores conquistas como técnico está o Campeonato Brasileiro de 86, pelo São Paulo. O último trabalho de Pepe, hoje com 79 anos, foi na Ponte Preta, em 2006, mesmo ano em que lançou seu livro 'Bombas de Alegria - Meio século de memórias do Canhão da Vila' Folhapress Mais
Mais famoso jogador de futebol de todos os tempos, Pelé foi o mais jovem jogador a se sagrar campeão mundial em 1958, e já com status de craque. O reinado dentro dos campos acabou em 1977, nos EUA, e fora deles Pelé acumula inúmeras funções, seja no esporte, ou não. Ele já foi cantor, ator, tema de filme, ministro dos Esportes, e até técnico da base do Santos. Hoje, aos 73 anos, segue presente nos principais eventos do futebol mundial Arquivo Pessoal Mais
Atacante campeão mundial com o Brasil em 58, Mazzola (na foto, à direita) trocou o bicampeonato em 62 para defender a seleção italiana, já que tem dupla cidadania. Atualmente, aos 75 anos, o ex-jogador segue vivendo na Itália, em Turim, onde é comentarista esportivo. No futebol da Velha Bota, atuou por quase 20 anos e fez história no país. Pela seleção brasileira, teve curta passagem, entre os anos de 1957 e 58, porém, vitoriosa. Foram 11 partidas, apenas uma derrota e oito gols marcados Acervo UH/Folhapress Mais
Um dos maiores vencedores da história do futebol mundial, Zagallo, já aos 82 anos, segue morando no Rio de Janeiro, único estado que atuou enquanto jogador. Foi também como técnico que o Velho Lobo se notabilizou. Entre 1966 e 2006, Zagallo trabalhou no comando de equipes e seleções, tendo conquistado as Copas de 70 e 94 já como treinador. Apesar de enfrentar alguns problemas de saúde nos últimos anos, ainda se diz disposto a trabalhar em algum clube se for convidado Acervo UH/Folhapress Mais

Remanescentes da seleção campeã mundial em 1958

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE FUTEBOL



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos