UOL Esporte Brasileirão - Série A
 
26/05/2011 - 07h10

Felipe não esconde rivalidade com o Bahia e elogia ex-companheiro Souza

Vinicius Castro
No Rio de Janeiro

Nascido no Rio de Janeiro, mas com raízes na Bahia, precisamente no Vitória, clube onde iniciou a carreira. A trajetória do goleiro Felipe, do Flamengo, costuma ser lembrada principalmente quando o jogador encara o Bahia, principal adversário do seu primeiro clube. No próximo domingo, às 16h, em Salvador, um novo encontro e a rivalidade presente.

“Joguei 10 anos no Vitória e sempre vou torcer pelo clube. Em 2005, fomos campeões e tive um ano marcante na carreira. O Bahia é um clube de tradição, precisamos respeitá-los. Com certeza, vou ser um dos jogadores mais xingados. Já até avisei aos meus parentes para não irem com a camisa do Flamengo com o meu nome. Em outras ocasiões aconteceram episódios desagradáveis. Quebraram uma van na qual a minha família estava e não quero que isso aconteça novamente”, afirmou.

No partida, Felipe irá reencontrar o atacante Souza, seu ex-companheiro no Corinthians. Ele lembrou a má fase enfrentada pelo jogador, quando era o reserva de Ronaldo, mas fez questão de elogiá-lo antes do duelo.

“O Souza é o famoso caveirão (risos). Jogamos juntos dois anos lá no Corinthians. Ele, infelizmente, não teve uma boa passagem, mas com qualquer outro que fosse reserva do Ronaldo seria complicado. O Souza foi muito cobrado, mas é um cara gente boa, e se dermos mole vai fazer gol mesmo. Ele é flamenguista, mas está defendendo outras cores”, encerrou o goleiro rubro-negro.

Para a partida, o técnico Vanderlei Luxemburgo não poderá contar com Léo Moura, recuperando-se de uma lesão no ligamento colateral medial do joelho direito, e Willians, afastado e multado após desferir uma cotovelada em Negueba no coletivo da última quarta-feira.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host