Flu e Vasco encerram ano de atritos e até 'tapetão' com luta contra degola

Rodrigo Paradella e Vinicius Castro
Do UOL, no Rio de Janeiro

Vasco
Vasco

Veja Também

Juntos na luta contra o rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro, Fluminense e Vasco viveram ano de atritos nos bastidores do futebol carioca. A rivalidade só foi deixada de lado nas últimas semanas, quando as duas equipes se uniram para uma tentativa de 'tapetão' no Campeonato Brasileiro, que puniria Portuguesa, Ponte Preta e Criciúma por irregularidade na inscrição de jogadores.

A tentativa de tirar pontos dos rivais na luta contra a degola nos bastidores chegou a interromper a rixa que começou em julho deste ano. Departamentos jurídicos de Vasco e Fluminense estudaram a situação em conjunto com o Coritiba, mas acabaram desistindo do 'tapetão'.

Uma situação semelhante, no entanto, botou os times em lados opostos novamente alguns dias depois. O Vasco sofreu com a ameaça de 'tapetão' tricolor por conta da polêmica frase dita pelo meia do Cruzeiro Júlio Baptista durante a vitória do Cruzmaltino por 2 a 1, na 36ª rodada do Brasileiro.

Na ocasião, o Fluminense chegou a estudar a viabilidade de uma ação contra Cruzeiro e Vasco, já que Júlio Baptista foi flagrado pelas câmeras da televisão dizendo para o adversário Cris marcar mais um gol durante a partida vencida pelos cariocas. O Tricolor, no entanto, preferiu aguardar sem agir o desenrolar do inquérito aberto pela procuradoria do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

O atrito de Fluminense e Vasco data de julho deste ano, quando a disputa por um lugar fixo para suas torcidas na arquibancada do Maracanã reacendeu a rivalidade entre as diretorias. Os dirigentes dos clubes mantinham uma boa relação até que a briga nos bastidores encerrou a amizade.

A disputa entre Vasco e Fluminense pegou fogo por conta da postura irredutível de suas diretorias sobre o posicionamento de suas torcidas no clássico que marcou a reinauguração do Maracanã para os clubes, no dia 21 de julho. Na época, o Tricolor levou a melhor na disputa por conta do compromisso assinado com a Maracanã S/A e ficou com o lugar que tradicionalmente era do rival, à direita das cabines de rádio.

Os clubes mantinham uma boa relação até o episódio, até mesmo com o Vasco cedendo São Januário ao Tricolor enquanto Maracanã e Engenhão estavam fechados. A postura do Tricolor, no entanto, gerou revolta do presidente Roberto Dinamite, que chegou a dizer para seus torcedores não comprarem ingressos para a partida, que acabou com vitória por 3 a 1 do Cruzmaltino.

Ao menos um integrante da dupla disputará a Série B em 2014. Os dois rivais são concorrentes diretos por uma vaga na primeira divisão do ano que vem e, se um deles se salvar, o outro automaticamente deixa de ter chances matemáticas de figurar na elite na próxima temporada.

O Fluminense encara o Bahia na Fonte Nova pela última rodada do Campeonato Brasileiro, enquanto o Vasco visita o Atlético-PR na Arena Joinville. Ambas as partidas estão marcadas para as 17h deste domingo.

Além da própria vitória, o Tricolor depende de tropeços do Vasco e do Coritiba para permanecer na primeira divisão. Já o Vasco poderá continuar na Série A com apenas um empate em caso de revés do Fluminense e de uma derrota por mais de três gols de diferença do Coritiba para o São Paulo, no Morumbi.

FLU E VASCO COMETERAM ERROS SEMELHANTES DURANTE O BRASILEIRO

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos