UOL Esporte Futebol
 
Vinicius Castro/ UOL Esporte

O prefeito Zito e Patricia Amorim posam com o envelope contendo a planta do terreno

12/11/2010 - 13h38

Terreno para estádio agrada e presidente do Fla garante: 'É coisa séria'

Vinicius Castro
No Rio de Janeiro

Por muitos anos o torcedor do Flamengo viveu a ilusão de que o clube mais popular do país poderia ter o seu estádio próprio. Como se sabe, nada aconteceu, e o Rubro-Negro atualmente manda os seus jogos no Engenhão e em Volta Redonda. No entanto, nesta sexta-feira, o clube parece ter dado um enorme passo para, enfim, realizar o sonho de toda uma nação.

POSSÍVEL NOVO ESTÁDIO RUBRO-NEGRO

  • Vinicius Castro/UOL Esporte

    Na primeira imagem, o torcedor vê o terreno...

  • Vinicius Castro/UOL Esporte

    Nesta, o terreno por cima da Linha Vermelha...

  • Vinicius Castro/UOL Esporte

    Na última, Patricia Amorim em reunião com Zito

Patricia Amorim, presidente do Flamengo, e José Camilo Zito, prefeito da cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, se reuniram para tratar da futura construção do estádio no município. Na Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico e Políticas Sociais – FUNDEC, Zito apresentou a dirigente a planta do terreno, além de ter explicado as obras que poderão ser realizadas caso o Flamengo resolva construir o seu estádio no local.

A área oferecida possui aproximadamente 500 mil m2, tamanho suficiente para a construção de uma arena, além de hotel, shopping, e outras opções culturais que possam valorizar ainda mais o local. Além da reunião, Zito fez questão de levar Patricia Amorim em seu próprio carro para um “tour” pelos arredores do terreno.

Após o encontro, a presidente rubro-negra mostrou-se otimista com o que viu. Patricia Amorim garantiu que a construção do estádio rubro-negro deixou de ser um sonho para se tornar realidade.

“Foi apresentado ao Flamengo um espaço muito generoso. Agradeço ao carinho do prefeito Zito. A construção do nosso estádio não é um factóide, é uma coisa séria. Enxergamos como um progresso muito bom. Não temos a ideia de enganar a torcida, nem nada disso. Não vamos criar nenhum tipo de expectativa, apenas desejamos realizar o que estamos sonhando há muitos anos. Recebi ofertas de alguns investidores interessados e vamos tocar esse projeto. É lógico que não sou a dona do Flamengo. Sabemos que será preciso voltar a conversar com os investidores, levar toda a situação ao conselho diretor. Com essa aprovação, já poderemos montar um projeto definitivo para então votá-lo no conselho deliberativo”, afirmou a mandatária rubro-negra.

Rubro-Negro de carterinha, Zito se reuniu com Patricia Amorim em seu gabinete, decorado inclusive com sua foto em um painel do clube da Gávea. Feliz com a conversa, o prefeito celebrou a possível mudança.

“Essa é a porta de entrada para o sucesso. Duque de Caxias está abrindo as portas para o progresso. A Copa do Mundo e as Olimpíadas estão próximas. Com o estádio, não vamos contemplar apenas o município, como também toda a Baixada Fluminense, regiões próximas, Zona Oeste. Se o Flamengo decidir pela construção será em um local com acesso pelo mar, terra, ar... Sempre fui flamenguista, mas o meu respeito com a cidade de Duque de Caxias é ainda maior do que o amor pelo clube. Vejo que chegou a hora de o Flamengo deixar essa herança. É um progresso importantíssimo. Espero que no futuro, Duque de Caxias possa se orgulhar de ter o estádio do Flamengo e formar craques rubro-negros”, disse o prefeito, que minimizou o fato de o terreno pertencer à Marinha do Brasil.

“É uma área da Marinha, Federal, mas que será requisitada por todos os governos, e não vejo problemas para que possa ser cedida sem custos. Caso o Flamengo decida não construir no local, não tem problema. Duque de Caxias vai aproveitar o momento olímpico e colocar essa situação em prática de outra forma. Esse terreno está há muito anos abandonado, trazendo malefício para a cidade”, comentou.

A presidente Patricia Amorim explicou que os investidores interessados no projeto são alguns dos que perderam a concorrência para a construção e reforma de estádios para a Copa do Mundo de 2014. Segundo a dirigente, os parceiros consideram completamente viável a construção da arena rubro-negra.

O FLAMENGO NO TWITTER

“Acho que tudo conspira a favor. Com a Copa do Mundo e Olimpíadas acontecendo no Rio de Janeiro, o Governo Federal fica um pouco mais sensível. As coisas ficam mais fáceis. Nossa ideia é construir uma grande área para que outras delegações possam se hospedar no local, utilizar mesmo o espaço. Vamos aproximar o nosso torcedor do Flamengo. Todos sabem que temos muita torcida na Baixada Fluminense, Zona Oeste”, finalizou.

Com o projeto sendo levado adiante, a mandatária garantiu que as obras só deverão começar em 2012, já que a prioridade absoluta do clube está na construção do CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O módulo para o futebol profissional, inclusive, deve ser concluído no prazo de oito meses a partir do início das obras, previsto para janeiro de 2011.

Na manhã desta sexta-feira, saindo do centro do Rio de Janeiro, via Linha Vermelha, a reportagem do UOL Esporte chegou ao local do possível futuro estádio do Flamengo em 22 minutos. O trajeto foi realizado sem engarrafamento. Em caso de dificuldades no trânsito, o mesmo percurso pode levar pouco mais de uma hora.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host