UOL futebol

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2012/06/12/para-sair-do-palmeiras-valdivia-pode-precisar-pagar-ate-r-375-milhoes.htm
  • Palmeiras pode pedir no mínimo R$ 100 milhões para liberar Valdivia de contrato
  • 30/07/2014
  • UOL Esporte - Futebol
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
Valdivia, meia chileno que atua no Palmeiras, vive drama pessoal após sequestro

Valdivia, meia chileno que atua no Palmeiras, vive drama pessoal após sequestro

12/06/2012 - 06h01

Palmeiras pode pedir no mínimo R$ 100 milhões para liberar Valdivia de contrato

Danilo Lavieri
Do UOL, em São Paulo

Caso Valdivia queira deixar o Palmeiras após o sequestro-relâmpago sofrido em São Paulo na última quinta-feira, o clube poderá exigir uma multa que ultrapassa R$ 100 milhões. O UOL Esporte teve acesso ao contrato firmado entre o meia e o clube, que vale até 26 de julho de 2015.

O valor corresponde à multa rescisória para um time do exterior. Em caso de transferência a um time brasileiro, o Palmeiras pode exigir até 100 vezes o salário anual do atleta, ou seja, cerca de R$ 375 milhões.

A cláusula complica uma possível rescisão de contrato, proposta defendida pela família de Valdivia. Em entrevista a uma rádio chilena, Claudio Valdivia, irmão e conselheiro do jogador, disse que o meia e seu pai tentarão pôr fim ao vínculo com o Palmeiras. Os dirigentes não querem abrir mão do jogador. 

NÚMEROS DE VALDIVIA

O CONTRATO DO VALDIVIA EM NÚMEROS DIVISÃO MULTA RESCISÓRIA RESTRIÇÃO PARA O GOLFO

Os direitos econômicos estão divididos em 54% para o Palmeiras, 10% do jogador e 36% são de Osório Furlan Jr., conselheiro que ajudou o clube a bancar a volta do chileno ao país. Vale ressaltar, no entanto, que o clube é quem decide se negociará ou não o jogador por ter 100% dos direitos federativos, que tem as multas ao lado estipuladas para serem quebrados. 

O clube brasileiro que quiser Valdivia precisará desembolsar cerca de R$ 375 milhões até 27 de julho de 2012. Depois disso, o valor da multa fica em cerca de R$ 300 milhões. Os times internacionais precisam pagar aproximadamente R$ 100 milhões. Após o segundo ano de contrato, o valor vai para a casa dos R$ 80 milhões.

Para se proteger do assédio dos rivais, o Al Ahli pôs no contrato de venda ao Palmeiras uma multa de R$ 12,5 milhões para o mercado do golfo pérsico. Após os dois anos de contrato, a multa fica em R$ 6 milhões. 

De acordo com a legislação vigente à época da assinatura do contrato, os valores de rescisão podem ser reduzidos apenas após 26 de julho de 2012, quando o vínculo de Valdivia com o Palmeiras completa dois anos. A partir dessa data há uma diminuição de 20% do valor a cada ano. 

Por ter sido assinado em 2010, o contrato de Valdivia com o Palmeiras obedece à antiga legislação, que prevê uma redução de 40% do valor da multa rescisória após o terceiro ano e de 80% após o quarto ano. 

No contrato, ainda há uma multa de R$ 12,5 milhões imposta pelo Al Ahli, ex-clube de Valdivia, caso o chileno assine com outro clube do Golfo Pérsico. Essa foi a manobra feita pelo time dos Emirados Árabes para evitar que o meia acertasse com um rival após deixar o país alegando "saudades da família". Após os dois primeiros anos, essa multa passa a ser de aproximadamente R$ 6,5 milhões.

Por fim, o contrato de Valdivia prevê uma divisão dos direitos econômicos. Em uma venda, o Palmeiras lucraria 54% do total acordado, sem descontar as comissões e impostos. Outros 36% estão com o empresário e conselheiro do clube Osório Furlan Jr. O restante (10%) pertence ao jogador.

Valdivia é esperado na Academia de Futebol nesta terça-feira após passar cinco dias no Chile. Ele sofreu um sequestro-relâmpago na quinta-feira e voltou ao seu país para ficar ao lado de sua família. 

Valdivia
Valdivia


 


Entenda o caso

O jogador e sua esposa Daniela foram rendidos na noite de quinta-feira (07) e por cerca de duas horas ficaram sob o poder de um sequestrador. As investigações iniciais davam conta que o casal foi abordado no estacionamento do Shopping West Plaza, no bairro Água Branca. Posteriormente, a polícia passou a considerar que o atleta havia sido abordado em uma locadora da região. 

Depois de duas horas rodando pelas ruas de São Paulo, Valdivia e sua mulher foram deixados, com o carro, próximos a uma loja de peças automotivas na Avenida Marquês de São Vicente. O bandido fugiu de táxi e levou mil reais.

Segundo Dejair Rodrigues, delegado seccional Oeste e que comanda as investigações, policiais civis estiveram no Shopping para conseguir as imagens do circuito interno.

O Boletim de Ocorrência foi registrado pelos policiais no 7º DP, uma vez que o jogador, abalado, não quis comparecer ao distrito. Segundo a assessoria de imprensa do clube, o jogador não foi reconhecido pelo marginal. Valdivia teria se identificado apenas como Jorge, jogador do Palmeiras.

ASSISTA AO DEPOIMENTO DE VALDIVIA

Placar UOL no iPhone