UOL futebol

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2013/01/22/aniversariante-do-dia-ceni-e-exaltado-por-nasi-que-diz-que-goleiro-e-insubstituivel.htm
  • Quarentão, aniversariante Rogério Ceni é exaltado pelo roqueiro Nasi: "Ele é insubstituível"
  • 27/11/2014
  • UOL Esporte - Futebol
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
Nasi, ex-vocalista da banda Ira!, elogiou demais Rogério Ceni em depoimento

Nasi, ex-vocalista da banda Ira!, elogiou demais Rogério Ceni em depoimento

22/01/2013 - 06h01

Quarentão, aniversariante Rogério Ceni é exaltado pelo roqueiro Nasi: "Ele é insubstituível"

Danilo Lavieri
Do UOL, em São Paulo

Rogério Ceni completa, nesta terça-feira, 40 anos. É raro um atleta ir tão longe, especialmente atuando em um time de elite e mostrando estar em forma. Por isso, o UOL Esporte convidou Nasi, ex-vocalista da banda Ira!, para dar seu depoimento sobre o camisa 01 do São Paulo.

O roqueiro elogiou demais o líder são-paulino e disse que o goleiro será insubstituível na história da equipe do Morumbi.

Confira depoimento de Nasi sobre Rogério Ceni:

O São Paulo teve grandes ídolos e grandes craques, mas fico muito feliz de não só ter conhecido pessoalmente, mas também por ter acompanhado toda a carreira dele de perto. Com certeza, pelos títulos e pelos fatos que marcaram sua carreira, posso dizer que ele é, além de um grande goleiro-artilheiro e batedor de faltas, um jogador único. Não tenho dúvida de que outros grandes goleiros virão no futuro para vestir a camisa do São Paulo, mas nenhum vai ter a genialidade que ele teve durante toda a carreira. E mais. Ele só vestiu a nossa camisa.

Ceni foi decisivo em 2005, na Libertadores, e também na conquista do Mundial, naquela partida que ele pegou tudo contra o Liverpool. Ele foi decisivo, inclusive, batendo falta na Libertadores. Tem como não dizer que ele é diferenciado?

E mais. Para minha alegria, eu, como roqueiro, posso dizer que ele é um dos poucos jogadores de futebol que gosta do meu estilo, do rock. Não é à toa que ele manda na trilha sonora do Morumbi com aqueles bons sons.

Eu fico cada dia mais feliz por saber que vou poder contar para os meus netos que eu conheci o Rogério Ceni. Vou poder falar das façanhas que vi ele fazer de perto. Não tenho dúvida de que, mais do que goleiro, ele é o que melhor simboliza o que é o São Paulo.

O Rogério é um cara muito sério, que não sabe fazer média e isso incomoda as pessoas. Incomoda porque o meio do futebol é hipócrita, é de falsidade. Tudo o que falam a gente pode entender o contrário. Quando dizem que o grupo está unido, é porque está dividido. Se dizem que querem cumprir o contrato, é porque estão de saída. Se falam que se dão muito bem com o treinador, é porque se dá muito mal. Neste mundo, o Rogério tem o papo reto.

E ele tem papo reto entrando e saindo de campo, dando uma coletiva após o treinamento ou após um jogo. E quem conhece ele fora de campo, como tive o prazer, sabe que ele é simples, generoso, afetivo e todos predicados bons neste sentido. Ele não é jogador que gosta da noite, prefere ficar em casa, com a família e com os poucos e muito bem selecionados amigos. Isso gera inveja e preconceito. As pessoas não aceitam isso.

Ninguém nem sabe que ele tem 40 anos. Que ele completa 40 anos um dia antes do meu aniversário. Até por isso, faço a campanha de Rogério na Copa de 2014. Eu espero que o Felipão, que já sabe que ele é bom de grupo, dê essa chance. O Brasil não tem nenhum goleiro que é unânime. A presença de Rogério, mesmo que seja só no grupo, para passar experiência, seria muito bom, porque ele tem uma postura de liderança, de grupo. A gente sabe que, entre os veteranos, ele é o único que está em forma. Quer um exemplo de sua liderança? Compare o primeiro semestre de 2012 e o segundo do São Paulo.

Obrigado, Rogério.
Parabéns. 

NA FRANÇA, LUCAS PARABENIZA ROGÉRIO CENI PELO ANIVERSÁRIO

DESTINO DO GOLEIRO PODERIA TER SIDO EM CLUBE RIVAL

Rogério Ceni é um grande vencedor no futebol, com inúmeros títulos no São Paulo, como o bi mundial de clubes (93 e 2005), e também um pentacampeonato na seleção brasileira. Mas a sua trajetória profissional poderia ser bem diferente. Ao invés de desembarcar no CT da Barra Funda quando tinha 17 anos, no dia 7 de setembro de 1990, poderia chegar à Vila Belmiro. Leia mais
Rogério Ceni
Rogério Ceni

Placar UOL no iPhone