UOL futebol

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2013/04/17/empresa-que-batiza-estadio-do-bayern-se-aproxima-de-dar-nome-a-arena-palestra.htm
  • Alemã Allianz comunica negociações avançadas para batizar estádio do Palmeiras
  • 01/09/2014
  • UOL Esporte - Futebol
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
O estádio do Palmeiras, a Arena Palestra, está sem previsão de inauguração

O estádio do Palmeiras, a Arena Palestra, está sem previsão de inauguração

17/04/2013 - 20h49

Alemã Allianz comunica negociações avançadas para batizar estádio do Palmeiras

Do UOL, em São Paulo

A seguradora alemã Allianz está em fase final de negociação para dar nome ao futuro estádio do Palmeiras, a Arena Palestra. A informação foi divulgada pela assessoria da multinacional que batiza o estádio do Bayern de Munique-ALE como Allianz Arena. O tempo de contrato discutido e o valor do naming rigths não foram informados.

“A Allianz Seguros informa que está em fase de negociações avançadas com a WTorre para ter o direito de nomear a Nova Arena (Palestra) com a marca ‘Allianz’”, comunicou a seguradora.

Arena Palestra
Arena Palestra

A empresa atualmente possui quatro estádios com a marca. Além da Allianz Arena, a Allianz da Austrália, do Sidney FC, a Allianz Riviera, em Nice, na França, e o Allianz Park, sediado em Londres na Inglaterra, e utilizado como centro esportivo, também realizaram a parceria.

A assessoria da seguradora informa que a negociação está sendo realizada com a WTorre, empresa responsável pela construção da Arena Palestra. O Palmeiras não participa das tratativas.

O estádio do Palmeiras começou a ser reformado em 2010, mas está com obras paralisadas desde segunda-feira, quando o operário Carlos de Jesus, de 34 anos, morreu em serviço após acidente provocado pela queda de quatro vigas. Executivos da WTorre e dirigentes do alviverde trabalham com a inauguração no primeiro semestre de 2014.

O local do acidente ficou marcado por uma polêmica desde o início das reformas. O Palmeiras e a WTorre lutavam para derrubar toda a estrutura remanescente do antigo estádio, alegando que o setor não tinha condições físicas de continuar de pé. O problema é que o alvará conseguido pela construtora e pelo clube era apenas de reforma e não de construção.

A legislação impunha a manutenção de alguma estrutura antiga para configurar a reforma. A parte mantida da arquibancada foi justamente no local do acidente. Atualmente, o setor é chamado de arquibancada da Av. Francisco Mattarazzo.

Placar UOL no iPhone