Bruno César aceita redução salarial por segunda chance no Palmeiras

Lucas Tieppo
Do UOL, em São Paulo

Bruno César
Bruno César

Veja Também

O Palmeiras estabeleceu como uma das metas para a próxima temporada a contratação de um meia e o nome preferido da direção alviverde e do técnico Gilson Kleina é Bruno César. As negociações com o Al Ahli, da Arábia Saudita, estão em andamento e o jogador, que passou pelo Corinthians entre 2010 e 2011 já vislumbra uma segunda chance com a camisa do clube.

Bruno passou pelas categorias de base e pelo Palmeiras B em 2007, mas teve poucas chances e acabou dispensado. Seis anos depois, espera mostrar que os dirigentes da época erraram.

"Poderei mostrar que eles estavam errados. Acho que aprendi muito desde que sai e, caso retorne para o Palmeiras, poderei ajudar muito mais que antes", disse Bruno César em entrevista ao UOL Esporte.

"Joguei no time B, eu era muito novo (19 anos) e tinha muita gente na fila. Mas não ficou nenhuma mágoa. Sabia que seria difícil para mim e tive que sair para buscar uma situação melhor", lembrou o jogador, que ganhou destaque no Santo André em 2010, onde foi vice-campeão paulista, e também passou por Corinthians e Benfica.

Bruno César tem contrato com o Al Ahli, da Arábia Saudita, até junho de 2017, mas o clube aceita emprestá-lo. Coube ao seu empresário, Marcos Casseb, oferecê-lo ao Palmeiras por empréstimo. O técnico Gilson Kleina já deu sinal verde. Caso fosse querer adquiri-lo, o Palmeiras teria que desembolsar cerca de R$ 16 milhões. 

Apesar de ter um salário alto para os padrões do futebol brasileiro, o meia mostrou saber da atual situação financeira do Palmeiras e aceita se enquadrar na nova política de salários mais baixos imposta pela diretoria do Palmeiras. O clube também paga bônus por produtividade.

"Isso é o de menos. O importante é voltar e dar sequencia à minha carreira. Acho que se precisar diminuir o salário para fechar com qualquer time, farei sem problemas. Pode acontecer, mas estamos conversando para acertar da melhor forma para ambas as partes e ainda não definimos nada", analisou Bruno.

Sobre seu passado no Corinthians, o meia admite que poderá enfrentar uma resistência inicial por parte dos torcedores do Palmeiras.

  • 17106
  • true
  • http://esporte.uol.com.br/enquetes/2013/12/05/bruno-cesar-seria-bom-reforco-para-o-palmeiras.js

"Claro que vai ter isso (resistência) no começo, mas é normal. Joguei contra o Palmeiras, fiz gols. Então isso é normal e só poderei provar o contrário quando estiver jogando e ajudando a equipe. Respeito a opinião de cada torcedor. Sou profissional. Joguei pelo Corinthians e fiz uma grande temporada. Sou muito agradecido por tudo que o Corinthians fez por mim", disse.

Meia habilidoso e responsável por armar o setor ofensivo dos clubes que passou, Bruno não vê problemas em dividir espaço com Valdivia em campo.

"Isso não é um problema. O Valdivia é um excelente jogador e todos sabemos disso. Podemos jogar juntos sem problemas, ele de um lado e eu do outro. Acho que isso se resolve da melhor maneira, que é jogando", finalizou o jogador do Al Ahli. 

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos