Na última vez que o São Paulo venceu um clássico... veja como era o mundo

Do UOL, em São Paulo

O São Paulo joga neste domingo contra o Santos, às 16h, no Morumbi e enfrentará um adversário ainda maior: a última vitória em clássicos aconteceu no dia 2 de dezembro de 2012. São 15 meses sem superar um dos três maiores rivais. De lá para cá, muita coisa mudou dentro e fora do futebol. Por isso, o UOL Esporte listou alguns fatos que servem para ilustrar o longo período de jejum são-paulino.

Foram 11 clássicos desde a vitória sobre o Corinthians por 3 a 1, ainda sob o comando de Ney Franco, às vésperas do Mundial de Clubes. Nos jogos contra rivais que sucederam o triunfo longínquo, sete derrotas e quatro empates. Na última vez que o São Paulo venceu um clássico...

1- "Whats Up?": Facebook tinha US$ 16 bilhões a mais
Arte/UOL

Hoje entre os maiores aplicativos para telefonia celular no mundo, o Whatsapp ainda engatinhava quando o São Paulo venceu um clássico pela última vez. A forma mais popular de se trocar mensagens no Brasil até dezembro de 2012 era o SMS. O Whatsapp foi fundado em 2009 e cresceu nos últimos dois anos. Na última quarta-feira foi comprado pelo Facebook por US$ 16 bilhões.

2- Eike Batista era bilionário
AFP

Se o São Paulo perdeu 11 chances de vencer um clássico entre dezembro de 2012 e fevereiro de 2014, o empresário Eike Batista perdeu cerca de R$ 29 bilhões. Segundo publicado pela revista norte-americana Forbes no ano passado, Eike deixou de ser um bilionário neste período. A crise nas empresas do grupo EBX, de Eike Batista, motivaram a perda.

3- Bruna Marquezine era criança. Aquela da novela do Tony Ramos
Valterci Santos/Gazeta do Povo/Folhapress

A atriz Bruna Marquezine ainda tinha 17 anos, começava a aparecer mais na novela Salve Jorge, da TV Globo, e nem tinha iniciado o namoro com Neymar. Era mais lembrada, até então, pela interpretação da pequena Salete, em 2003, na novela Mulheres Apaixonadas, ao lado do ator Tony Ramos.

4- O papa não era "hermano"
Fabriel Bouys/AFP

Em março de 2013 o argentino Jorge Mario Bergoglio foi escolhido como novo papa após a renúncia Bento XVI (Joseph Ratzinger). Coincidentemente, o São Paulo estava na Argentina quando Bergoglio, hoje papa Francisco, foi o escolhido. O time, ainda treinado por Ney Franco, jogaria no dia seguinte, em Buenos Aires, contra o Arsenal de Sarandí... e perderia por 2 a 1, na partida que ficaria pela revolta do zagueiro Lúcio, substituído, que logo depois afirmaria: "quando eu saí estava 0 a 0".

5- O mundo iria acabar
Reprodução/IMDb

O São Paulo ganhou o último clássico 19 dias antes do fim do mundo previsto pelos maias, em 21 de dezembro de 2012. Naquele momento, o mundo ainda poderia acabar de acordo com a previsão maia. Mas não acabou.

6- O gigante ainda estava dormindo
Luiz Paulo Montes/UOL

Foi só no ano passado que "o gigante acordou". Em junho do ano passado, o Movimento Passe Livre – que defende a tarifa zero para o transporte coletivo – iniciou protestos contra o aumento do preço da passagem de ônibus em São Paulo, e provocou uma série de manifestações que se intensificaram e mobilizaram milhares de pessoas. Mais tarde, quando os protestos se transformaram em algo mais generalizado e menos focados em único tema, o lema "o gigante acordou" foi adotado, em referência ao início das manifestações populares que levantaram o país. O gigante era o Brasil, que estava dormindo quando o São Paulo venceu um clássico pela última vez.  

7- Ninguém sabia o que era black bloc
Nelson Almeida/AFP

Quando o gigante acordou, o Brasil passou a ouvir um novo termo: "black bloc". Tal nome é dado à estratégia adotada por parte dos manifestantes, que em geral se vestem de preto, usam máscara e têm como princípio confrontar símbolos do capitalismo e da globalização. Os danos a bancos e empresas multinacionais, que representariam tal ideologia, estão no pacote.

8- Feliciano não representava ninguém
AP

Eleito no ano passado presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados do Brasil, o pastor evangélico Marco Feliciano gerou controvérsia ao ser escolhido para um cargo para o qual, aparentemente, não mostrou grande aptidão. Teoricamente defensor das minorias, Feliciano se envolveu em polêmicas ao publicar mensagens homofóbicas em uma rede social. Na mesma plataforma, fez afirmações que foram consideradas de cunho racista. Tais atitudes provocaram o início da campanha "Feliciano não me representa", endossada por artistas e outras figuras públicas.

9- Christina Aguilera era gorda
Mario Anzuoni/Reuters

Talvez você nem saiba que ela foi gorda. Mas foi. Era gorda quando o São Paulo bateu o Corinthians às vésperas do Mundial de 2012. Hoje ela voltou a ser magra e à aparência do início da carreira como cantora.

10- Oscar Niemeyer ainda estava vivo
Tuca Vieira/Folha Imagem

O arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer morreu três dias depois da vitória são-paulina contra o Corinthians, aos 104 anos.

11- Marcar encontros com desconhecidos não era socialmente aceitável
Reprodução

Ninguém fazia ideia do que era Tinder quando o São Paulo venceu o último clássico. Até ali, não era socialmente aceitável marcar encontros com desconhecidos pelo celular. Hoje é. O aplicativo para telefone celular que virou mania no Brasil permite que homens e mulheres conheçam parceiros em potencial por meio de fotos, analisando proximidade e interesses em comum, e une aqueles que se curtem. O já famoso "match".

12- A MTV Brasil estava no ar
MTV

A MTV ainda transmitia nos televisores do Brasil. A emissora que estreou no país em 1990 encerrou as atividades em 2013, após enfrentar maus momentos desde 2009. Na época, um dos principais programas da grade era o Comédia MTV, com Marcelo Adnet, Dani Calabresa, Tatá Werneck, Bento Ribeiro e Paulinho Serra.

13- Justin Bieber nunca tinha sido preso
Reprodução/Instagram

O cantor canadense Justin Bieber estava mais para ídolo adolescente, aos 18 anos, e só chamava atenção pela música. Hoje, ele é dos assuntos principais em outros temas, também. Recentemente foi detido por dirigir alcoolizado.

14- Os EUA espionavam todo mundo escondidinhos
The Guardian/AFP

Foi só em 2013 que o ex-técnico da CIA Edward Snowden vazou informações sobre o programa de vigilância internacional, visto como espionagem, do governo norte-americano, que monitorou até conversas da presidente do Brasil Dilma Rousseff.

15- Neymar não tinha contrato com o Barcelon... OH WAIT
Ricardo Nogueira/Folhapress

Neymar ainda jogava no Brasil. No Santos de Muricy Ramalho. Mas, conforme revelado neste início de 2014, já tinha firmado acordo com o Barcelona sem conhecimento do clube da Vila Belmiro. O pai de Neymar admitiu que recebeu em 2011, por meio da empresa N&N, da qual é sócio, um adiantamento de 10 milhões de euros do Barcelona para que o clube catalão tivesse preferência em um negócio futuro com o atacante. 

 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos