Presidente do Flu não confirma Fred após Copa e vê reaproximação com Unimed

Do UOL, no Rio de Janeiro

Fred
Fred

Veja Também

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, evitou garantir a permanência do camisa 9 da seleção brasileira Fred no clube após a disputa da Copa do Mundo, que começa em junho. O próprio centroavante admitiu a possibilidade de retornar à Europa após a competição e deixar as Laranjeiras.

"O Fred que tenho visto no Fluminense é um jogador animado, empolgado. Não sei como vai ser após a Copa do Mundo. É o maior ídolo da historia recente do Fluminense. É uma figura extraordinária. É o centroavante titular da Copa do Mundo no Brasil, o que é difícil nesses tempos de muita grana na Europa. É um feito histórico e um resgate do Fluminense com a seleção. E, se houver capacidade nossa e do patrocinador, de mantê-lo no pós-Copa seria fantástico também", disse Peter à Rádio Brasil, sem cravar a permanência do jogador.

Um dos fatores principais para a manutenção de Fred é uma boa relação com a patrocinadora Unimed Rio. O relacionamento de Peter com o presidente da parceira, Celso Barros, no entanto, não tem sido das melhores. Mas o mandatário tricolor revela que isso mudou nos últimos dias, com uma reaproximação.

"Da minha parte, continua igual, intacta, desde o inicio da gestão. Nunca me viram falando mal da Unimed. Sempre reconheci a importância histórica da Unimed. Fui o defensor do nome do Celso para o CT. Entendo que tenha reações sobre o que entende não ser adequado. Mas isso em nenhum momento mexe com minha visão. Como torcedor, acho a parceria fantástica e, como presidente, em momento nenhum sou contra. Meu posicionamento nunca mudou. Estamos nos falando... Conversei com o Celso na sexta, no sábado. Estamos nos falando, graças a deus", disse o presidente até mesmo em tom de alívio.

Peter também minimizou a atitude do atacante Walter, que reclamou de ficar no banco de reservas durante a vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, no último domingo. Ele reiterou as palavras do vice presidente de futebol Ricardo Tenório, que disse não ver importância no caso.

"O que o Ricardo disse foi perfeito. Não pude ver o jogo todo, mas ao 40 do segundo tempo tem um escanteio e vemos ele rindo e brincando atrás do campo. É a vontade dele de jogar, colabora bastante com elenco. O Ricardo deu a importância devida, ou seja, muito pouca dentro do ambiente", encerrou o mandatário.

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos