Sem resposta, clubes prometem 'medidas' e pressão contra CBF e Del Nero

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

  • Ed Ferreira/Folhapress

    Por participação nas decisões administrativas, clubes prometem pressionar ainda mais a CBF

    Por participação nas decisões administrativas, clubes prometem pressionar ainda mais a CBF

Duas semanas, e nenhuma resposta. Grande parte dos 40 principais clubes brasileiros – Séries A e B – se irritou com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e promete agir. A princípio, apenas uma pressão inicial para a entidade responder à reivindicação do grupo, que exige participação nas decisões administrativas.

Em entrevista exclusiva concedida ao UOL Esporte, Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro, não escondeu o incômodo com a entidade máxima do futebol nacional.

"Ainda não tivemos nenhuma resposta da CBF. Medidas serão tomadas a partir disso para que a CBF respeite o pedido de grandes clubes do futebol brasileiro", resumiu o mandatário, que preferiu não entrar em detalhes em relação às 'medidas' tomadas a partir de agora.

"São várias medidas. Não vamos ingressar na justiça, porque sempre é demorada; queremos uma resposta com mais urgência, ver se a CBF se pronuncia e respeite o pedido, não negue uma resposta", acrescentou o mandatário do Cruzeiro, um dos dirigentes a entregar a carta na CBF.

Os clubes possuem aparato para processarem a confederação, caso a resposta não ocorra nas próximas semanas. Relator da Lei do Profut, o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) foi quem garantiu a base judicial para uma medida mais drástica por parte do grupo.

Sem a ideia de apelar para a legislação, as equipes querem aproveitar a própria força para exigir uma resposta rápida. Perguntado pela reportagem se, após 15 dias sem resposta quanto à reinvindicação, os clubes terão a intenção de pressionar a CBF, Gilvan responde: 'Exatamente'.

A carta entregue à CBF, a qual exige a participação nas assembleias da entidade, contou com o apoio de 32 times. Deste grupo, Corinthians, Palmeiras e São Paulo decidiram não assinar a mensagem; o 'trio de ferro' diz apoiar o movimento.

Botafogo e Vasco, inimigos políticos da Primeira Liga e próximos da Ferj, Oeste, Vila Nova, Bragantino, CRB e Paysandu ainda não demonstraram apoio à medida capitaneada pelos mais de 30 clubes.

LEIA A CARTA ENTREGUE A MARCO POLO DEL NERO

À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

Sr. Marco Polo del Nero
Presidente

Prezado Senhor.
Os clubes signatários desta carta requerem que a CBF cumpra com o disposto nos arts. 22, parágrafo segundo, e art. 22-A, da Lei 9.615, com redação feita a partir da Lei 13.155, que determinou que os clubes da Série A e B do Campeonato Brasileiro devem obrigatoriamente participar de todas assembleias gerais da CBF. Contudo, até o presente momento a CBF realizou duas assembleias de natureza administrativa sem convocar os clubes. Sendo assim, requeremos que a CBF cumpra com o disposto na Lei e convoque os clubes para todas as assembleias que realizar.

UOL Cursos Online

Todos os cursos