! São Paulo vence clássico, mantém vantagem e 'elimina' Santos - 05/11/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  05/11/2006 - 17h58
São Paulo vence clássico, mantém vantagem e 'elimina' Santos

Da Redação
Em São Paulo

Uma rodada - e um concorrente - a menos. Num duelo entre dois candidatos ao título do Campeonato Brasileiro, o São Paulo superou o Santos por 1 a 0 neste domingo, na Vila Belmiro. Assim, a equipe da capital manteve sua situação confortável na liderança e praticamente eliminou o rival alvinegro, que sofreu apenas o segundo revés como mandante na competição nacional.

OS LANCES DO CLÁSSICO
Crédito
Partida começou equilibrada na Vila, com boa marcação de ambos
Crédito
Volante Mineiro abriu o placar para São Paulo ainda no primeiro tempo
Crédito
Em desvantagem, o Santos passou a pressionar o líder do Brasileirão-06
Crédito
Mas quem fez a festa mesmo foi a torcida da equipe da capital paulista
CONFIRA ÁLBUM DA 33ª RODADA
INTER VENCE O GRÊMIO FORA
"Conseguimos eliminar dois concorrentes diretos [Santos e Grêmio]. Agora nossa briga é somente contra o Internacional. Vai ser emocionante", disse o goleiro são-paulino Rogério Ceni.

Depois de ter sua vantagem reduzida na última quinta-feira, quando empatou com a Ponte Preta e o vice-líder Internacional bateu o Botafogo, o São Paulo confirmou o topo da tabela neste domingo. E deixou a torcida presente na Vila Belmiro eufórica. O time deixou o gramado sob os gritos de "é campeão".

"Temos que ter paciência. Restam cinco jogos e não temos nada a comemorar ainda", disse Rogério Ceni.

Com a vitória sobre o Santos, o São Paulo alcançou 67 pontos e manteve cinco de vantagem para os gaúchos, agora a apenas cinco partidas do término da temporada (a equipe tricolor lidera o Brasileiro ininterruptamente desde a 12ª rodada).

Além disso, a equipe da capital quebrou um longo tabu de 11 anos. Desde 1995 o São Paulo não derrotava o Santos na Vila Belmiro pelo Campoenato Brasileiro. E para completar, o atual líder do Nacional se confirma como o grande algoz regional do rival nesta temporada. O time da Vila Belmiro só perdeu dois clássicos em 2006, e ambos para o rival tricolor (a derrota anterior havia sido no Morumbi, pelo Campeonato Paulista, por 3 a 1).

No Campeonato Paulista, a derrota do Santos para o São Paulo adiou a conquista do título da equipe alvinegra, que não vencia o Estadual desde 1984. Neste domingo, o triunfo tricolor adiou (e até colocou em xeque) o objetivo do time do litoral neste segundo semestre, que é a classificação para a Libertadores de 2007.

"O título já era. Temos que traçar outros objetivos. Ganhar em casa e lutar pra valer pela vaga na Libertadores", afirmou o goleiro Fábio Costa.

Estagnado nos 55 pontos, o Santos só manteve a terceira colocação do Campeonato Brasileiro graças à vitória do Internacional sobre o Grêmio, que aparece no quarto lugar da tabela. Derrotadas neste domingo, as duas equipes perdem a oportunidade de ganhar distância para o Vasco, que tem a melhor campanha entre os que não estão na zona de que dá vaga à Libertadores, e ainda possibilitam a aproximação do Paraná Clube (que figura na quinta posição).

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos jogará contra outro candidato à taça. O time da Vila Belmiro viajará para Porto Alegre e enfrentará o Internacional na quarta-feira, às 21h45, no Beira-Rio. No dia seguinte, às 20h30, o São Paulo receberá o Botafogo no Morumbi, em São Paulo.

O jogo
Depois de muito mistério antes de divulgar a escalação, os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Muricy Ramalho surpreenderam neste domingo. O comandante santista montou sua equipe com cinco homens no meio-campo e apenas Reinaldo isolado na frente, e o são-paulino optou por improvisar o meia Lenílson na vaga deixada pelo centroavante Aloísio (suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo).

No duelo de formação inusitadas, o São Paulo se mostrou superior. Preso na frente, Lenílson conseguiu segurar a defesa do Santos. E o time da casa, com cinco homens no meio, congestionou demais o jogo e não conseguiu municiar Reinaldo, que foi facilmente marcado pelo tripé defensivo dos visitantes (formado por André Dias, Fabão e Miranda).

Com uma distribuição tática mais eficiente, o São Paulo começou a encontrar espaços. O time da capital paulista conseguiu trocar passes lateralmente em sua intermediária ofensiva, mas a forte marcação imposta pelos cinco homens do meio-campo do Santos tornou o jogo pobre de emoções. "Nós até soubemos parar o ataque deles, mas estávamos muito desesperados com a bola nos pés. Isso deixou o jogo feio no começo", analisou o lateral-esquerdo alvinegro Kleber.

A situação só mudou quando Mineiro apareceu como elemento surpresa. O volante do São Paulo lançou rasteiro para Lenílson, da esquerda para o meio. Lenílson dominou de costas para o gol, marcado por Ávalos, e devolveu de calcanhar. Mineiro recebeu dentro da área e chutou de primeira, de pé direito, no canto direito baixo de Fábio Costa. "Eu entrei na equipe para substituir o Aloísio e o Muricy me pediu para atuar como pivô. Foi isso que eu procurei fazer no lance do gol, e a disposição do Mineiro também fez diferença", contou Lenílson.

Imediatamente depois do gol, o técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu mudar a formação do Santos e colocou o atacante Wellington Paulista no lugar do volante André Luiz. E refez a alteração, abrindo ainda mais a equipe alvinegra, com Rodrigo Tiuí no lugar do volante Cléber Santana (que saiu lesionado).

Contudo, as substituições não abalaram a superioridade do São Paulo, principalmente pelo lado direito. Prova disso é que o time visitante quase ampliou aos 41min, em jogada individual do ala Ilsinho (destaque tricolor na etapa inicial). O camisa 16 passou entre dois marcadores e rolou para Lenílson. Livre dentro da área, o camisa 23 chutou de direita e mandou por cima do gol de Fábio Costa.

No segundo tempo, porém, o Santos iniciou dando indícios de que a história seria diferente. Reinaldo carregou a bola pela meia-direita a 1min e chutou de fora da área. Mal posicionado, o goleiro Rogério Ceni deixou a bola passar e viu a conclusão explodir em seu travessão. "Conversamos no vestiário e todo mundo cobrou isso. Estava faltando postura de jogo decisivo e precisávamos reagir", disse o lateral-esquerdo alvinegro Kleber.

A bola que Reinaldo mandou no travessão precedeu um momento de superioridade do Santos no clássico. Com postura diferente do que havia apresentado no primeiro tempo, o time da Vila Belmiro passou a dominar o São Paulo. E até chegou a balançar as redes aos 12min, quando Rodrigo Tiuí recebeu lançamento na direita e bateu cruzado para Zé Roberto concluir de cabeça. Entretanto, o árbitro Paulo César de Oliveira apontou impedimento no início do lance.

Depois do gol anulado, o Santos diminuiu seu ritmo e passou a tocar a bola lateralmente. A postura contida do time mandante também foi reflexo do comportamento do São Paulo, que recuou excessivamente (até Lenílson, que atuou como centroavante na etapa inicial, passou a jogar como meio-campista).

Além do recuo de Lenílson, o São Paulo passou a ter Danilo jogando como terceiro volante e cessou o apoio dos laterais (Ilsinho ficou preso pelo lado esquerdo do Santos e Richarlyson, que entrou no lugar de Júnior, limitou-se à marcação). Assim, a equipe visitante se esforçou para marcar e valorizar a posse de bola até o término do clássico.

SANTOS
Fábio Costa; André, Ávalos, Domingos e Kleber; Heleno, André Luiz (Wellington Paulista), Cléber Santana (Rodrigo Tiuí), Rodrigo Tabata (Carlinhos) e Zé Roberto; Reinaldo
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SÃO PAULO
Rogério Ceni; André Dias, Fabão e Miranda; Ilsinho, Josué, Mineiro, Danilo e Júnior (Richarlyson); Leandro (Thiago) e Lenílson (Ramalho)
Técnico: Muricy Ramalho

Local: estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
Auxiliares: Evandro Luis Silveira e Marinaldo Silvério (ambos de SP)
Cartões amarelos: Miranda (SP), Danilo (SP), Domingos (S), Zé Roberto (S)
Gols: Mineiro, aos 29min do primeiro tempo

Leia mais
Campeonato Brasileiro
Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias