UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/lutas/vale-tudo/ultimas-noticias/2012/03/21/sp-reclama-do-excesso-de-intermediarios-e-pede-representante-do-ufc-para-fechar.htm
  • SP reclama do excesso de intermediários e pede representante do UFC para fechar
  • 26/11/2014
  • UOL Esporte - Lutas
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
São Paulo segue como cidade preferida do UFC, mas negociação não foi fechada

São Paulo segue como cidade preferida do UFC, mas negociação não foi fechada

21/03/2012 - 06h00

SP reclama do excesso de intermediários e pede representante do UFC para fechar

Gustavo Franceschini e Maurício Dehò
Do UOL, em São Paulo

A negociação que pode trazer uma edição do UFC para o Morumbi segue enrolada e sem data para ser concluída. Envolvido no caso desde o fim do ano passado, o São Paulo diz estar disposto a fechar o acordo, mas reclama do excesso de intermediários e pede que a franquia norte-americana apresente um representante oficial.

Teoricamente, quem cumpre essa função no país é a IMX, agência de marketing esportiva do grupo de Eike Batista. Segundo o São Paulo, porém, o último contato com a empresa foi antes do UFC Rio, quando a franquia de MMA ainda negociava com o Pacaembu.

Neste ínterim, diversas pessoas se apresentaram como representantes do UFC, fizeram contato com o São Paulo e se distanciaram. A conversa mais efetiva com a franquia foi intermediada pelo lutador Vitor Belfort, que estaria no evento em junho e telefonou para executivos nos Estados Unidos para tentar ajudar no acordo.

Ao mesmo tempo, o secretário de esportes de São Paulo, Bebetto Haddad, espalha a notícia de que o acordo está fechado e só depende do alvará da Prefeitura. “O que eu ouvi dizer é que eles assinariam um contrato com o Morumbi condicionado à autorização. Se autorizar, realiza. Senão, não seria válido”, disse o político ao UOL Esporte.

A informação foi negada tanto pela IMX quanto pelo São Paulo. “Só posso dizer que não está fechada [a negociação] e que não tem data para fechar”, disse Sergio Mello, responsável pelo UFC dentro da empresa de Eike.

“Não tem nada fechado. Nós não queremos impor nada. Conversamos com qualquer pessoa, não tem problema. Só queremos ter uma segurança de que estamos falando com a pessoa certa”, disse Francisco Manssur, assessor da presidência do São Paulo que está ajudando Roberto Natel, administrador do Morumbi, no assunto.

O São Paulo se diz surpreso com as notícias constantes de que já teria acertado com o UFC, mas acredita que há sinais de que a franquia está perto de fazer uma proposta formal. “Eu tenho ouvido todo mundo falar que eles estão trabalhando com o dia 23 de junho, que foi a nossa sugestão lá atrás, porque era mais fácil para a gente”, disse Roberto Natel.

Bebetto Haddad diz que os contatos do UFC são Jaime Pollack, vice-presidente para a divisão da América Latina, e Marshall Zelaznik, diretor internacional. Natel diz que conversou com ambos em uma conferência por telefone no ano passado, mas nunca mais teve contato desde então. “Foi na época em que a IMX trouxe os engenheiros para medir o barulho que pode ser feito no Morumbi sem desrespeitar a lei. Depois do UFC Rio, no entanto, nunca tivemos mais esse contato”, disse o diretor.

Se sair do papel, o evento vai abrigar a final do reality show The Ultimate Fighter. Os treinadores do programa, Vitor Belfort e Wanderlei Silva, também entrariam no octógono. A luta principal seria a disputa do cinturão dos médios entre Anderson Silva e Chael Sonnen. O Rio corre por fora para receber a noitada de lutas, que pode ser realizada no Engenhão.

Sangue, suor e... 'porrada'
Sangue, suor e... 'porrada'

Placar UOL no iPhone