UOL Esporte Tênis
 
12/09/2010 - 09h01

Nadal encara Djokovic na final do US Open, único grande torneio que lhe falta

Da Folhapress
Em São Paulo

Número um do mundo, o espanhol Rafael Nadal joga por mais um feito neste domingo. Ele disputa, pela primeira vez, a final do Aberto dos EUA, único Grand Slam que ainda não conquistou. Seu rival será o sérvio Novak Djokovic, que derrotou o suíço Roger Federer por 3 a 2 (5/7, 6/1, 5/7, 6/2 e 7/5) após salvar dois match points.

Nadal teve menos trabalho no último sábado. O tenista espanhol dominou a partida contra o russo Mikhail Youzhny, 14º do mundo, e marcou 3 sets a 0 (6/2, 6/3 e 6/4) em duas horas e 13 minutos.

Uma vitória neste domingo torna Nadal o sétimo homem da história a completar o chamado ‘Career Grand Slam’’, que é vencer os quatro torneios da série mais importante do tênis (Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e Aberto dos EUA). Aos 24 anos, Nadal seria o segundo mais jovem tenista a conquistar o feito. Só Don Budge, com 22 em Roland Garros-38, foi mais precoce.

Os que completaram o ‘Career Grand Slam’’ após 1968, na chamada Era Aberta (o profissionalismo), eram mais velhos do que Nadal. O americano Andre Agassi tinha 29 anos quando venceu Roland Garros-99 e Federer, 27 ao triunfar também na França no ano passado.

O título em Nova York também isola Nadal como o quarto tenista com mais títulos de Grand Slam na Era Aberta. Ele busca seu nono troféu e ficaria atrás somente de Federer (16), do americano Pete Sampras (14) e do sueco Bjorn Borg (11).

Destes, apenas Borg chegou aos nove títulos mais jovem do que o espanhol -Federer colecionou ao seu nono troféu, no Aberto dos EUA-2006, com 25 anos. Ao bater Youzhny, Nadal já se tornou o sexto homem na Era Aberta a chegar à final dos quatro Grand Slams. Desses seis, só o americano Jim Courier, com 22 anos, obteve o feito mais jovem.

"Estou muito satisfeito por ir melhorando durante todo o torneio", afirmou Nadal. "Creio estar mais bem preparado neste ano, física e mentalmente, para ganhar meu primeiro Aberto dos EUA", completou ele, que no ano passado sofreu com contusões e caiu na semifinal.

Apesar do bom retrospecto contra Djokovic (14 vitórias em 21 jogos), Nadal demonstra muito respeito. "Djokovic, quando está em um grande dia, é um dos poucos que pode conseguir bolas vencedoras de qualquer lugar da quadra", afirmou Nadal sobre o sérvio.

E o último sábado foi um dos grandes dias de Djokovic. Ao vencer Federer pela primeira vez no Aberto dos EUA -ele havia perdido três vezes, incluindo a final de 2007-, o sérvio tirou o suíço da decisão do torneio pela primeira vez desde 2003.

Será também a primeira vez desde 2004 que uma temporada não terá Nadal e Federer disputando ao menos uma final de Grand Slam.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host