Na gringa

EUA fazem história e atropelam Tailândia: 13 a 0

Eu tive um desentendimento com ele do jeito que sempre acontece

Julian Draxler,
Meio-campista do PSG, confirmando um desentendimento pós-jogo com Neymar
Matteo Ciambelli/NurPhoto via Getty Images

A "cara"

Na Copa do Mundo feminina, os EUA não deram chances para a Tailândia no Grupo F e massacraram: 13 a 0. Alex Morgan, destaque da forte seleção norte-americana, marcou cinco vezes.
TF-Images/Getty Images

O fiasco

O Beitar Jerusalem anunciou a contratação do meio-campista Ali Mohamed. No entanto, diante das fortes ligações do clube com o Sionismo, torcedores pediram para que o jogador adote um apelido na camisa - o nome estaria vinculado à tradição muçulmana. O presidente do Beitar rechaçou.
Divulgação

A polêmica

A seleção de Macau deveria ter enfrentado hoje o Sri Lanka nas eliminatórias asiáticas para a Copa de 2022, mas optou por não embarcar para o país do time rival por alegadas questões de segurança. Ainda não há definição sobre o jogo.
FFOSL/Divulgação

A jogada

Entre os vários gols dos EUA diante da Tailândia, um deles se destacou: aos 42 minutos do segundo tempo, aproveitando o desvio de Silawan Intamee, Alex Morgan tirou da zagueira Natthakarn Chinwong com um toque só e bateu forte para vencer a goleira Sukanya Chor Charoenying.
Lucy Nicholson/Reuters

A negociação

Segundo o jornal Marca, o técnico Zinedine Zidane tem como maior desejo a contratação de Paul Pogba como reforço para o Real Madrid. Para isso, diz a publicação, abriu mão de outros reforços.
Paul Ellis/AFP

A história deste gol

Quando Alex Morgan marcou para os EUA aos 42 min do segundo tempo, não apenas fez mais um gol na histórica vitória por 13 a 0 sobre a Tailândia. No lance, marcou o 12º gol de sua seleção na partida, superando ali o Alemanha 11 x 0 Argentina da Copa feminina de 2007 como maior goleada da história do torneio.
Robert Cianflone/Getty Images

Na boca do povo

Entre todos os atletas do mundo, nenhum ganhou mais dinheiro entre junho de 2018 e junho de 2019 que Lionel Messi. Segundo a revista Forbes, o argentino faturou US$ 127 milhões no período.
Reuters/Carl Recine
Publicado em 11 de junho de 2019.