UOL Esporte Atletismo
 
11/03/2010 - 13h01

Top 4: Confira alguns dos duelos mais aguardados do Mundial de Doha

Do UOL Esporte
Em São Paulo

O Mundial indoor de atletismo em Doha, no Qatar, que começa nesta sexta-feira, trará aos espectadores grandes duelos. Alguns deles, já são antigos, vêm de longos anos atrás. Outros, surgiram recentemente, no Mundial de pista aberta em Berlim. Por fim, há ainda aqueles que devem começar agora e prometem ter vida longa. Confira abaixo quatro desses confrontos que o UOL Esporte separou:

TOP 4: ALGUNS DOS DUELOS MAIS AGUARDADOS DO MUNDIAL DE DOHA (QAT)

60 M COM BARREIRAS MASCULINO - FINAL ÀS 12H25 DO DIA 14/03

Ausente das competições globais desde que abandonou os Jogos Olímpicos de 2008 com uma lesão no tendão de Aquiles, Liu Xiang (e) terá estímulos de sobra em Doha. Além de defender seu título (Valência-2008), o chinês terá a missão de encarar seu grande rival, o cubano Dayron Robles (d), campeão dos 110 m com barreiras em Pequim.

O último encontro entre os dois atletas foi também em um Mundial, mas em pista aberta, Osaka-2007. Na ocasião, Xiang somou o título ao recorde mundial e ao ouro olímpico que já tinha, e Robles não subiu ao pódio. Depois disso, as lesões (Xiang em 2008 e Robles em 2009) e as confusões (o cubano se atrapalhou no Mundial indoor de 2008) nunca mais aproximaram os dois.
60 M FEMININO - FINAL ÀS 12H10 DO DIA 14/03

A prova mais rápida do atletismo feminino deve proporcionar ao público em Doha um dos duelos mais acirrados do Mundial. Laverne Jones-Ferrette (e), das Ilhas Virgens, e Carmelita Jeter(d), dos Estados Unidos, travaram uma batalha intensa na pré-temporada, e dessa briga pode surgir um resultado histórico. Os especialistas acreditam que, pela primeira vez desde 1999, uma atleta correrá os 60m em um Mundial abaixo dos 7 segundos.

A princípio, quem está mais próxima de tal façanha é Jones-Ferrette, que cravou 6s97 em Stuttgart, em fevereiro. Só neste ano, ela ainda correu outras quatro provas abaixo dos 7s10. Jeter, porém, não fica muito atrás. Em Birmingham, foi ouro com 7s05 e em Albuquerque, nos Estados Unidos, correu para 7s02.
SALTO COM VARA FEMININO - FINAL ÀS 10H20 DO DIA 14/03

Embora seja a grande estrela e favorita a um ouro em Doha, Yelena Isinbayeva(e) terá de exorcizar alguns fantasmas na competição deste final de semana. Além de não ter conseguido bater pela primeira vez em 7 anos o recorde mundial indoor em Donetsk, na pré-temporada, a russa encontrará a polonesa Anna Rogowska.

Será o primeiro duelo das duas europeias em um Mundial desde que Rogowska venceu Isinbayeva no Mundial de pista aberta no ano passado, em Berlim. Na ocasião, a polonesa se aproveitou do azar da russa, que não acertou nenhum salto. As duas já duelaram em outras provas depois daquilo, e Isinbayeva venceu todas. A melhor marca do ano, inclusive, é dela, 4,85 m, mas está distante dos 5 m que lhe valeram o recorde mundial no ano passado.
SALTO TRIPLO MASCULINO - FINAL ÀS 11H40 DO DIA 14/03

Com a ausência do britânico Phillips Idowu, que desistiu de defender seu título por questões pessoais, os holofotes estarão voltados para o sueco Christian Olsson, que está de volta a um torneio de grande expressão após quase 3 anos se recuperando de sucessivas lesões na perna. E será uma nova chance de Jadel Gregório reencontrar aquele que lhe tirou o ouro em Osaka-2007.

Olsson, apesar do longo retiro, chega com larga vantagem. Nesse ano, sua melhor marca é de 17,32 m, abaixo apenas dos 17,39 m assinalados pelo veterano Fabrizio Donato. O brasileiro, por sua vez, saltou no máximo 16,92 m, em Birmingham, exatamente no último encontro com seu grande rival.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host