UOL Esporte Atletismo
 
12/05/2010 - 10h22

Técnico de Marion Jones e Montgomery pede indenização à Usada

Das agências internacionais
Em Madri (ESP)

Trevor Graham, ex-treinador de atletas como Marion Jones, Tim Montgomery e Justin Gatlin, todos suspensos por doping, resolveu entrar na Justiça norte-americana contra a agência antidoping do país, a Usada. Ele pede US$ 30 milhões, alegando que teve seu nome manchado por acusações de envolvimento com o escândalo.

ISINBAYEVA: SÓ EM 2011

Afastada das competições desde 10 de abril devido ao fraco desempenho nas pistas, a russa Yelena Isinbayeva pode deixar de competir na temporada 2010, de acordo com o seu agente, Daniel Wessfeldt. “Seguramente ela voltará em 2011 para estar na lista para os Jogos de Londres em 2012”, disse à agência AFP. Entretanto, Wessfeldt não quis confirmar oficialmente a renúncia da atleta à atual temporada.

Ele é considerado a pessoa que denunciou anonimamente o escândalo dos laboratórios Balco, e foi posteriormente acusado de fornecer produtos dopantes a seus atletas e de ter mentido diante de um tribunal, em 2008.

“A Usada caluniou diante de todo o mundo e nunca foi permitido que eu me defendesse. Seguem me caluniando como se eu fosse culpado, mas não sou”, afirmou o técnico.

Segundo a investigação do caso Balco, Graham foi, em 2003, quem enviou à agência um produto dopante até então desconhecido, usado para melhorar rendimentos de atletas. Um dos que teria feito o uso seria Tim Montgomery, que foi recordista dos 100 m rasos.

Na ocasião, o técnico recebeu garantias de imunidade por sua colaboração, mas o acordo não o protegia das declarações falsas que fez diante das autoridades que investigavam o caso.

A Usada respondeu afirmando que não há fundamentos para a reclamação e que esta é apenas mais uma nova tentativa de “roubar os atletas limpos”.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host