UOL Esporte Atletismo
 
01/08/2010 - 08h52

Envolvidos em escândalo de doping já pensam em Pan e Mundial

Do UOL Esporte
Em São Paulo

Bruno Lins e Lucimara Silvestre, dois dos cinco atletas flagrados no ano passado em exames com o hormônio proibido EPO, não pararam de treinar, apesar da suspensão de dois anos por doping. E eles já têm objetivo: índice para ir ao Mundial e aos Jogos Pan-Americanos em 2011.

TÉCNICOS CONTESTAM BANIMENTO

Banidos do atletismo após assumir culpa pelo escândalo, os técnicos Jayme Netto Jr. e Inaldo Sena vão recorrer na Corte Arbitral do Esporte contra a decisão do STJD da confederação brasileira.

O advogado dos dois, Luciano Hostins, considera a pena dura e tem 45 dias, a partir de 5 de julho, para recorrer.

Inaldo Sena e Jayme Netto já avisaram, no entanto, que não vão mais trabalhar no atletismo. Mesmo assim, Sena não gostou de ser banido: "Não foram coerentes. Nem fui intimado".

A suspensão deles acaba no dia 14 de junho do ano que vem. Eles terão apenas um mês para tentar o índice para as duas competições. No entanto, pelo que vêm treinando em Presidente Prudente, ambos estão otimistas.

“Para meu histórico, um mês é muito tempo. Em 2009, consegui [o índice] logo na primeira competição”, disse o velocista Bruno Lins ao jornal O Estado de S. Paulo. Ele será treinado pelo veterano André Domingos, medalhista olímpico no revezamento 4 x 100 m.

Já Lucimara, que compete no heptatlo, esbanja confiança: “Faço o índice de olhos fechados”. E ela diz isso com base nos treinos: “Não paro de treinar, e estou feliz com meus resultados. Estão melhores do que nas minhas últimas competições”.

No ano passado, às vésperas do Mundial, cinco atletas brasileiros foram flagrados em exames surpresa: Jorge Célio Sena, Bruno Lins, Lucimara Silvestre, Luciana França e Josiane Tito. O técnico Jayme Netto assumiu a culpa e afirmou que o fisiologista Pedro Balikian é que recomendou a substância.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host