Iaaf se preocupa com veto de Trump e busca garantias para Mundial de 2021

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Kai Pfaffenbach

    Mo Farah é um dos atletas afetados por medida de Trump

    Mo Farah é um dos atletas afetados por medida de Trump

A Federação Internacional de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) demonstrou preocupação e disse que buscará garantias de que a nova lei de imigração decretada pelo presidente Donald Trump não interfira na realização do Mundial da modalidade no país, agendado para 2021 no estado de Oregon.

Com o objetivo de diminuir supostas ameaças terroristas ao território americano, Trump restringiu a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana nos Estados Unidos.

"Nós claramente precisamos entender as implicações na nova política de imigração dos Estados Unidos e vamos procurar garantias para que isso não afete o Mundial dos Estados Unidos em 2021", afirmou a entidade em comunicado enviado à agência AP.

No domingo, o tetracampeão olímpico Sir Mo Farah, que tem cidadania britânica e somali, foi ao Facebook postar um longo desabafo contra Trump. Além da Somália, Síria, Iraque, Irã, Sudão, Líbia e Iêmen são os países cujos cidadãos serão impactados.

Depois do anúncio da medida, na sexta-feira, uma onda de protestos tomou conta dos aeroportos dos Estados Unidos. Pelo Twitter, Trump disse que os Estados Unidos precisam de fronteiras mais fortes para evitar "a terrível bagunça" que a questão dos refugiados vem causando à Europa. No domingo, após ser criticado duramente por autoridades internacionais, o governo recuou e disse que estrangeiros com "green card", a permissão para trabalhar e morar legalmente no país, não serão afetados pelo decreto, contrariando a previsão inicial.

Veja também



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos