Coadjuvante na Rio-16, jovem surpreende veteranos e lidera os 100m no ano

Do UOL, em São Paulo

  • Andy Lyons/Getty Images

    Coleman fez o melhor tempo do ano nos 100m ao cravar 9s82

    Coleman fez o melhor tempo do ano nos 100m ao cravar 9s82

Quanto mais a despedida de Usain Bolt se aproxima, mais ansiosos ficam os fãs do jamaicano e do atletismo de olho em novos talentos. E um americano vai, aos poucos, atraindo esses olhares com mais atenção. E com justiça: Christian Coleman, americano de 21 anos, é o atleta mais rápido do mundo nos 100m nesta temporada.

Na semana passada, no NCAA em Eugene, no Oregon, Coleman bateu o recorde do campeonato universitário ao vencer com 9s82. Mais do que isso, tornou-se o nono homem mais rápido da história, o quarto entre os americanos. Bolt, em sua despedida em um campeonato na Jamaica, venceu com 10s03 no último sábado.

Mas a marca de Coleman não foi por acaso. Desde o ano passado os holofotes se voltam cada vez mais para ele. Nas classificatórias para a Olimpíada no Rio, o americano fez o sexto tempo dos Estados Unidos, com 9s95, e conseguiu uma vaga no revezamento 4x100m, disputando a eliminatória.

E ganhou um tutor de gabarito: Justin Gatlin, quinto mais rápido da história (9s74) e campeão olímpico (2004) e mundial (2005) dos 100m. "Ele já me falou para eu tentar quebrar todos seus recordes. Sempre me inspirei nele e sua ajuda é muito especial", disse Coleman em março deste ano ao USA Today.

"Ele passou por todas as fases que estou passando agora, desde sobre o que fazer da minha carreira até a suportar a pressão de ser um dos melhores velocistas na faculdade. Ele tem me dado muitos conselhos", emendou o jovem velocista.

Parte dessa experiência foi transferida na trajetória olímpica no Rio de Janeiro. Segundo analistas americanos, Coleman voltou mais confiante e concentrado depois dos Jogos. E agora a melhor marca do mundo é um demonstrativo prático da evolução do velocista.

Recordista mundial dos 100m e atual tricampeão olímpico, Bolt anunciou sua aposentadoria para agosto deste ano, depois do Mundial de Londres. Ele e os demais velocistas de primeiro nível se preparam para uma disputa intensa na capital inglesa. Enquanto isso, Coleman sonha com um futuro não tão distante.
 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos