Taxistas rejeitam atleta paralímpico e culpam pelos de cadela-guia

Do UOL, em São Paulo

  • Friedemann Vogel/Getty Images

    Atleta paralímpico David Casinos em ação nos Jogos do Rio de Janeiro em 2016

    Atleta paralímpico David Casinos em ação nos Jogos do Rio de Janeiro em 2016

Considerado o melhor do mundo no arremesso de peso da classe F11, o atleta paralímpico David Casinos, que é cego, passou por situação desconfortável na Espanha, seu país natal. De acordo com reportagem da agência de notícias "EFE", o esportista foi rejeitado em Valência por dois taxistas que alegaram que sua cadela-guia "solta pelos demais".

O incidente ocorreu nesta terça-feira (27), quando Casinos tentou tomar táxi em ponto de Valência e foi rejeitado por dois motoristas. A solução encontrada pelo atleta foi pedir um carro por telefone, e só então o espanhol teve êxito.

Apesar do incidente, Casinos afirmou que trata-se de um evento isolado e que nunca teve problemas com o serviço na Espanha.

"Tomo geralmente muitos táxis, e a maioria dos motoristas são pessoas maravilhosas, ainda que às vezes você encontre esses bárbaros", declarou.

Dono de Faral, sua cadela-guia, Casinos aproveitou a oportunidade para lembrar que não há legislação que preveja serviço público obrigatório no caso de transporte de cãos-guias. Cerca de um mês antes, o atleta teve problema semelhante em Madri.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos