Esporte

Londres vive alerta máximo. Mas quem vai ao Parque Olímpico nem percebe

Julianne Cerasoli/UOL Esporte
Imagem: Julianne Cerasoli/UOL Esporte

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

11/08/2017 04h00

O Reino Unido vive há meses em estado de alerta máximo contra terrorismo, tendo sido alvo de ataques nos últimos meses, mas quem vai ao Parque Olímpico para acompanhar o Mundial de Atletismo, que está sendo disputado em Londres até o próximo domingo não nota uma preocupação fora do normal do policiamento.

O próprio Parque Olímpico já foi construído com um alto padrão de segurança, incluindo barreiras anti terrorismo em todo o seu entorno. Para chegar até a porta do estádio, são 5 barreiras diferentes. Trata-se de estruturas colocadas nas calçadas fortes o suficiente para pararem até tanques ou caminhões em alta velocidade e que têm sido instaladas em toda a área central de Londres, especialmente após os ataques terroristas dos últimos meses. Isso, na cidade que é tida como a mais vigiada do mundo, com 420 mil câmeras espalhadas pela capital.

As câmeras e as barreiras, pensadas para se integrar à paisagem, ajudam na tentativa das autoridades britânicas de formar um esquema forte de segurança, mas que não seja tão notado pelos cidadãos.

Representantes da polícia local dizem que “não comentam sobre detalhes do esquema de segurança”, mas confirmam que o nível de policiamento é semelhante ao destacado para as Olimpíadas de 2012. O mesmo já ocorreu em outros grandes eventos realizados na Inglaterra nos últimos meses, como o torneio de tênis de Wimbledon, em que, pela primeira vez, foram instalados pontos de revista perto dos locais mais restritos.

Um funcionário de uma das empresas de segurança privada contratados para cuidar da segurança do estádio, contudo, afirmou que o número de agentes é de cerca de 2500. “Não é mais do que nos jogos do West Ham. Na verdade, até tem mais gente nos jogos de sábado porque o pessoal bebe mais e nossa grande preocupação é eles entrarem no shopping [o maior shopping de Londres fica a poucos metros do estádio porque daí é difícil tirá-los de lá. O público do mundial, além de menor, é mais tranquilo.”

De fato, enquanto os jogos do West Ham recebem cerca de 60.000 pessoas por jogo, o Mundial tem reunido pouco mais de 40.000 para cada dia de evento.

O policiamento em si não é ostensivo. O UOL Esporte observou a presença de muitos policiais a paisana, especialmente nas áreas que cercam o Estádio Olímpico. Mesmo fora de competição, a área, que conta com uma grande estação de transporte público e o maior shopping da capital, já é usada por milhares de pessoas diariamente e, com o Mundial, foi necessário um esquema especial para dar vazão ao movimento.

Na entrada do estádio, contudo, a revista não é rigorosa e não se nota uma presença maior do que o normal de policiamento. Tanto, que um homem de 30 anos invadiu a pista minutos antes da disputa da final dos 100m rasos no sábado, com os dizeres ‘paz e amor’ pintados em seu corpo nu. O homem conseguiu correr por cerca de 50m na pista até ser derrubado por seguranças.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo