Topo

Esporte


Ela viu a morte de perto, mas virou campeã de atletismo após transplante

Divulgação
Tatiana Narváez virou campeã de atletismo após transplante Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

2019-03-20T20:43:23

20/03/2019 20h43

A colombiana Tatiana Narváez é protagonista de uma história emocionante. Em fevereiro de 2014, ela passou por uma cirurgia de transplante de fígado que salvou a vida dela e agora é campeã de atletismo.

"Agora sou uma pessoa normal, tenho melhores hábitos de vida, moro em Cartagena há dois anos e me tornei campeã de atletismo ao vencer quatro provas nos Jogos Latino-Americanos para Atletas Transplantados", disse em entrevista ao site do jornal Ovación.

Tatiana contou que tudo começou quando se sentiu mal e foi avisada que tinha dois anos de vida. Ela ficou quase dois anos no sofrimento de não saber o que iria acontecer. O tumor dela no fígado não era cancerígeno, mas a única maneira de continuar viva era um novo órgão. Foi quando a atleta conseguiu um doador compatível e, em menos de dois meses, pôde realizar o transplante de fígado.

"Lembro-me de que ligaram para o meu celular na noite de 9 de fevereiro de 2014. Eu estava assistindo TV. Eu ouvi, mas não respondi, não sabia onde o deixara. Imediatamente meu pai me ligou no telefone fixo para me dizer que estavam procurando por mim com urgência, porque um possível doador havia aparecido", relembrou.

"Após verificação pelos médicos de que o órgão era compatível com o meu corpo, em questão de horas, eu já estava na sala de cirurgia. O procedimento foi de urgência", acrescentou.

O tempo de recuperação depois da cirurgia foi de cerca de um ano. Tatiana teve algumas recaídas, mas se recuperou e melhorou os hábitos: ela deu maior atenção aos esportes para melhorar a saúde física e mental.

"Inicialmente eu fiz isso pela saúde, pelo entretenimento, para começar um novo estilo de vida. Nunca pratiquei esportes na escola, sempre fui sedentária, mas depois que comecei a correr percebi que o atletismo se tornou uma paixão", declarou.

Nos Jogos Latino-Americanos para Atletas Transplantados, Tatiana foi ouro nos 400, 800, 1500 e 5000 metros. Agora, ela quer uma vaga nos Jogos Mundiais de Transplantados, que será realizado em agosto, na Inglaterra.

"Nessas competições, a vida é celebrada e um tributo é pago aos anjos doadores. É um momento de nostalgia, mas também de alegria e gratidão", finalizou.

Mais Esporte