UOL Esporte Atletismo
 
22/09/2009 - 17h44

Atleta do salto triplo deu positivo em teste de doping no Peru, segundo CBAt

Do UOL Esporte
Em São Paulo
O escândalo do doping nacional teve registrado mais um capítulo nesta terça-feira. A CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) informou que o atleta Leonardo Elisiário dos Santos, do salto triplo, testou positivo em exame antidoping realizado no Campeonato Sul-Americano, no Peru, entre os dias 19 a 21 de junho.

AFP
No Mundial de Berlim, Leonardo Elisiário não foi bem e terminou apenas 39ª posição
RELATÓRIO DEVE SAIR ESTA SEMANA
SEMENYA É ALVO DO PARLAMENTO
LEIA MAIS SOBRE ATLETISMO
"No dia 16 de setembro o Laboratório credenciado pela IAAF em Montreal informou ter encontrado resultado adverso na amostra 'A', em exame realizado pela Agência Antidoping da CBAt, nos Campeonatos Sul-Americanos de Adultos, em Lima, Peru, de 19 a 21 de junho, no caso do atleta em referência", diz a nota da entidade.

De acordo com as informações da CBAt, o atleta foi comunicado no mesmo dia em que a informação foi recebida pela entidade. Foi solicitado que o atleta enviasse esclarecimentos no prazo de sete dias, que termina nesta terça, e se acharia necessário o exame de amostra "B".

Ainda segundo a confederação, o atleta enviou as suas explicações no dia 18 deste mês, isentando o seu treinador de possível envolvimento com a ingestão de substância proibida e declarou não ter utilizado. Com isso, a CBAt solicitou o exame da contra-prova "B" ao laboratório e, por medida preventiva, está solicitando o respectivo exame de DNA.

O saltador Leonardo Elisiário dos Santos esteve no Mundial da Alemanha, mas não obteve um bom resultado. O atleta obteve a marca de 15,95 m, terminando em 39º lugar.

O presidente da CBAt, Roberto Gesta de Melo, avalia que este é um caso isolado. "Na verdade, há casos distintos. Pela primeira vez no esporte brasileiro aconteceu um caso coletivo, em um trabalho orquestrado, e depois identificado a tempo pela confederação. Mas há casos isolados, de atletas que usam de má fé para tirar vantagem", destacou em entrevista ao canal SporTV.

A CBAt ressaltou que este caso só foi divulgado porque foi autorizado por Leonardo Elisiário dos Santos. A substância proibida encontrada no atleta não foi divulgada. "No que se refere a outros casos sob investigação, a CBAt não recebeu autorização dos desportistas para quebra da confidencialidade, que permitiria sua divulgação imediata dos procedimentos que estavam sendo adotados. Essa é uma decisão dos atletas e sua privacidade tem de ser respeitada em conformidade com a legislação em vigor", diz o comunicado.

Segundo Melo, a ideia da confederação é "cercar" ainda mais os atletas. "A confederação vai ampliar muito mais o seu programa antidoping. Nós temos que tentar rebelar ao máximo este mal que afeta a humanidade e deixar claro que isso faz mal para o físico do atleta", prometeu Roberto Gesta de Melo.

Há pouco mais de um mês, veio à tona o maior escândalo de doping do país com a confirmação de doping em cinco atletas brasileiros credenciados ao Mundial de Berlim, na Alemanha. O teste deu positivo nos exames de Bruno Lins Tenório de Barros (200m e 4x100m), Jorge Célio da Rocha Sena (200m e 4x100m), Josiane da Silva Tito (4x400m), Luciana França (400m com barreiras) e Lucimara Silvestre (Heptatlo). Antes destes, a CBAt já havia comunicado o doping da barreirista Lucimar Teodoro no final do mês de julho.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host