UOL Esporte Basquete
 
AP

Marcelinho Machado disputa bola no chão na vitória do Brasil

02/09/2010 - 17h16

Brasil se recupera, rompe tabu contra europeus e vai enfrentar Argentina

Murilo Garavello
Em Istambul (Turquia)

O Brasil vinha de duas derrotas seguidas, em partidas definidas no final e que abalaram a confiança do time de Rubén Magano. Nesta quinta-feira, os brasileiros deram uma resposta. Venceram a Croácia com autoridade, por 92 a 74.

O JOGO EM NÚMEROS

  • AP
  • 11

    rebotes

    A diferença entre Brasil e Croácia. Varejão foi o reboteiro do jogo, com 12 em 24 minutos.

  • 52,6%

    nos 3 pontos

    Aproveitamento do Brasil, com 10 acertos. Croácia, que arremessa muito, fez só 30,4%.

  • 24

    lances livres

    Acertou o Brasil, após ter 65% de acerto contra a Eslovênia.
    .

  • 25

    pontos

    Foi a maior vantagem brasileira na partida. Os croatas só lideraram o placar no primeiro período.

Além de bater um rival difícil, o Brasil rompeu um tabu. Desde 2002 a seleção brasileira não vencia uma equipe européia em competições da Fiba. A última tinha sido ainda na primeira fase do Mundial dos EUA, sobre a Turquia. No total, foram nove derrotas seguidas, em série interrompida nesta quinta.

E a confiança conquistada por esse resultado será necessária. Com a vitória, a equipe garantiu o terceiro lugar do Grupo B do Mundial da Turquia e vai enfrentar nas oitavas de final sua maior rival: a Argentina. O time campeão olímpico de 2004 perdeu para a Sérvia na última rodada do grupo A e foi para a segunda fase em segundo lugar.

A vitória também foi boa por outro motivo: o duelo das oitavas de final será apenas na terça-feira, às 15h, em Istambul. Se tivesse perdido, encararia a Sérvia já no sábado. São quatro dias a mais para treinar e, principalmente, descansar os jogadores.

Em quadra, o Brasil voltou a atuar de maneira consistente, como aconteceu contra os EUA. Magnano usou, pela primeira vez, a dupla Varejão-Splitter no quinteto titular. E o pivô do Cleveland Cavaliers foi vital. Ele ainda mostra falta de ritmo e está claramente sentindo dores no tornozelo direito, mas pegou 12 rebotes em 24 minutos, dominando o garrafão enquanto jogou. "Hoje movemos bem a bola e acertamos muitos arremessos. A gente teve um pouco de sorte, as bolas que ontem não caíram, hoje caíram", disse Varejão.

O desempenho de Alex também foi importante. Nas três primeiras partidas, pouco fez ofensivamente. Contra Eslovênia e nesta quinta-feira, decidiu infiltrar e foi bem-sucedido, com sua melhor partida no ataque até agora, com 15 pontos. "Hoje começamos muito forte, concentrados na defesa. E conseguimos deixar o jogo menos travado. O mais importante é que controlamos a partida do início ao fim", disse o ala.

De fato, o domínio verde-amarelo nos três primeiros quartos foi enorme: a equipe abriu três pontos no primeiro quarto, dez no segundo e nove no terceiro. Com 22 pontos de vantagem, o técnico aproveitou para poupar os titulares. Nezinho, Murilo e JP Batista jogaram a maior parte do último período. Marquinhos, que foi titular contra os EUA e jogou mal contra a Eslovênia, jogou só no final. E a vantagem não caiu tanto, fechando o jogo com 18 pontos de vantagem.

REPERCUSSÃO

Foi a pior performance que eu vi de um time. Se não jogarmos como profissionais, seremos destruídos pela Sérvia

Roko Ukic, armador da Croá
França perde para Nova Zelândia e se classifica em último lugar no Grupo D

Argentina perde e pega o Brasil nas oitavas de final do Mundial da Turquia


Rússia vence e manda Grécia para duelo contra a Espanha nas oitavas

FICHA DO JOGO

AFP
Leandrinho passa por Ukic. Veja álbum
BRASIL 92
Huertas (7), Leandrinho (17), Alex (15), Varejão (2) e Splitter (6). Entraram Marcelinho Machado (18), Nezinho (0), Murilo (7), Giovannoni (12), Marquinhos (2) e JP Batista (6).

CROÁCIA 74
Ukic (4), Kus (4), Tomas (9), Banic (4) e Tomic (2). Entraram Popovic (15), Bogdanovic (10), Planinic (3), Loncar (12) e Andric (11).

DIRETO DO GINÁSIO

MALA SUSPEITA
Mala metálica esquecida em banheiro perto da quadra. Foi só susto.
PÉ FRIO?
Elano não estava no lugar que ocupou nas derrotas para EUA e Eslovênia.
TRISTEZA
Jornalistas croatas, torcedores fervorosos, viram o jogo de cara amarrada.
DE MUDANÇA
Foi o último jogo na Abdi Ipekçi Arena. Segunda fase terá outro ginásio.

 

MELHORES E PIORES

MARCELINHO
Com a confiança em alta, fez 14 pontos no 2º quarto e foi fundamental para Brasil disparar.
TOMIC
Só fez dois pontos e cometeu três faltas em menos de dois minutos. Foi eliminado no 3º período.
ALEX
Agressivo, infiltrou e virou mais uma boa opção no ataque brasileiro.
PLANINIC
Mostrou estar fora de forma e ajudou muito pouco a Croácia.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host