UOL Esporte Basquete
 
AFP

Leandrinho não vem conseguindo manter no segundo tempo suas boas atuações

02/09/2010 - 06h59

Leandrinho brilha no início, mas despenca nos fins de jogo do Mundial

Murilo Garavello
Em Istambul (Turquia)

Há dois Leandrinhos com desempenhos bem diferentes no Mundial da Turquia. Um, rápido, cheio de energia, preciso nos arremessos, uma referência no ataque e na defesa para a seleção. Outro, precipitado, com a mira falha e menos efetivo na marcação. Para azar da seleção, este segundo tem aparecido na etapa decisiva das partidas.

PONTOS DE LEANDRINHO NO MUNDIAL

Adversário 1ª tempo 2º tempo
IRÃ 7 6
TUNÍSIA 16 5
EUA 8 6
ESLOVÊNIA 8 4

A queda, evidente em quadra, é flagrada com precisão pelos números. Nos quatro jogos do Brasil, ele fez em média 9,8 pontos no primeiro tempo. No segundo, o número despenca para 4,8 por jogo.

E Leandrinho não converte menos pontos porque diminui o número de arremessos. No total, foi à cesta 28 vezes nas primeiras metades das partidas, e 29 nas segundas etapas. A diferença é o aproveitamento: 60% no começo dos jogos, 24% nos finais.

ARREMESSOS CERTOS/TOTAL

Adversário 1ª tempo 2º tempo
IRÃ 3/5 (60%) 2/5 (40%)
TUNÍSIA 7/8 (88%) 1/3 (33%)
EUA 3/7 (43%) 2/11 (18%)
ESLOVÊNIA 4/8 (50%) 2/10 (20%)

O jogador não sabe  apontar um motivo para a queda de rendimento no fim do jogo. "A marcação é muito forte em cima de mim. Eles tentam me tirar do sério, me tirar da minha zona de conforto, evitar que eu jogue do jeito que eu gosto mais. Mas isso é durante o jogo inteiro", disse Leandrinho após um treino de arremessos nesta quinta. "Eu preciso trabalhar ainda mais para melhorar isso".

No Mundial, só há um jogador que roubou mais bolas do que o brasileiro. O marfinense Mouloukou Diabate soma 12 desarmes em quatro jogos. Até mesmo nesta estatística defensiva Leandrinho registra um desempenho pior nos momentos decisivos do jogo, o brasileiro vê roubou 11 –sete delas na primeira etapa.

Como os dois primeiros jogos do Brasil foram relativamente fáceis, o armador, que atua há seis anos na NBA não precisou assumir o papel de carregar o time nos momentos decisivos do jogo. Entretanto, contra EUA e Eslovênia, essa queda no desempenho de Leandrinho tem relação direta com as derrotas brasileiras.

ROUBADAS DE BOLA

Adversário 1ª tempo 2º tempo
IRÃ 0 0
TUNÍSIA 2 2
EUA 3 1
ESLOVÊNIA 2 1

Contra os EUA, em que foi o grande líder brasileiro no jogo, até por ser o jogador mais conhecido pelos americanos, Leandrinho errou nove arremessos de três pontos na segunda etapa –acertou só um. No último quarto, de uma assistência e fez dois pontos. Em compensação, errou três arremessos, dois deles nos últimos 1min32s de jogo –inclusive a tentativa final de levar a partida para a prorrogação.

Já na partida de quarta-feira contra a Eslovênia, o desempenho no quarto decisivo foi ainda pior. Após marcar os dois primeiros pontos para o Brasil no quarto, em arremesso, Leandrinho só pontuou em uma bandeja de contra-ataque, a 7min23s do fim. Errou cinco arremessos e uma bandeja. Ou seja, seis tentativas. Quatro delas, nos últimos 4min35s de jogo, quando a partida estava equilibrada.

"Ontem pequei várias vezes contra a Eslovênia, não fiz uma boa partida", reconheceu o brasileiro. "Foi difícil para dormir. Sou muito crítico, me cobro muito. Mas temos que esquecer pra hoje fazer uma boa partida", disse, em referência ao duelo contra a Croácia, às 15h30.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host