UOL Esporte Basquete
 
AFP

Chauncey Billups comemora: EUA são novamente campeões mundiais

12/09/2010 - 17h26

EUA são campeões, recuperam hegemonia e revelam novo astro

Murilo Garavello
Em Istambul (Turquia)

A ordem do basquete mundial está reinstaurada. O país que tem o maior campeonato, os melhores jogadores e a maior tradição recuperou em Pequim-2008 o título de campeão olímpico e, neste domingo, consagrou-se campeão do mundo após 16 anos ao derrotar na final a Turquia por 81 a 64.

O título mundial, que estava em outras mãos desde 1994, veio com uma campanha invicta, marcada por nove vitórias. Em apenas um dos nove jogos, contra o Brasil, na primeira fase, os EUA chegaram ao início do quarto período com o triunfo em risco. Em todas as outras partidas, o time impôs seu padrão de defesa agressiva e velocidade no ataque, abriu vantagem e apenas tratou de administrá-la.

DURANT, O MELHOR DO CAMPEONATO

  • O norte-americano Kevin Durant foi escolhido por jornalistas o melhor jogador do Mundial. A decisão foi anunciada logo após a vitória dos Estados Unidos sobre a Turquia, na decisão do torneio

De quebra, os americanos consagraram um novo ídolo. Aos 21 anos, Kevin Durant, o cestinha da última temporada da NBA, chegou à Turquia com ares de principal destaque de uma equipe desfalcada dos 12 campeões olímpicos. E Durant superou as expectativas.

Marcou 33 pontos nas quartas, contra a Rússia. Na semifinal, contra a Lituânia, anotou 38 -17 no primeiro quarto, levando o time a abrir uma vantagem de dez pontos que não seria mais recuperada. E, neste domingo, conduziu a equipe à medalha de ouro com 28 pontos. De quebra, Durant consagra-se como o maior pontuador dos EUA em uma edição do Mundial, com os 205 pontos que conseguiu na Turquia.

O impressionante desempenho do jogador rendeu elogios de técnicos, jogadores, ex-jogadores e jornalistas. Adjetivos como “imarcável”, “imparável”, “de outro mundo” foram correntes nos corredores e entrevistas do Mundial.

Neste domingo, Durant anotou 20 pontos no primeiro tempo –quase metade dos 42 pontos conseguidos por seu time. E foi justamente em um arremesso de três pontos de Durant que os EUA abriram pela primeira vez uma vantagem de dez pontos, no segundo quarto.

No terceiro quarto, os americanos ampliaram a vantagem, e nunca mais foram de fato ameaçados no placar. No quarto quarto, EUA chegaram a abrir 22 pontos a pouco mais de seis minutos do fim do jogo, decretando a vitória.

Além de Durant, os EUA voltaram a ter Russell Westbrook (13 pontos) e Lamar Odom (16 pontos e 11 rebotes) como destaques.

Empurrada por mais de 15 mil torcedores, a Turquia, que estava invicta no campeonato, adotou a estratégia de fechar seu garrafão, com uma defesa por zona, permitindo arremessos de três pontos aos americanos. Não funcionou, principalmente contra Durant. Nos três primeiros quartos, ele converteu 7 das 12 tentativas.

Apesar de ser mais alto, o time turco não conseguia bloquear o ímpeto americano de obter rebotes no ataque. Mesmo durante longos trechos do jogo em que não usaram pivôs, os EUA usavam seu atleticismo para obter rebotes:. nos três primeiros quartos, foram 13 rebotes ofensivos dos EUA, que converteram-se em 16 pontos de segunda chance.

Na decisão do título, os americanos voltaram a exibir a impressionante defesa que caracteriza o time desde que Mike Krzyzewski assumiu o comando, em 2006. Impediram a organização de jogadas turcas, provocaram erros (14) e contra-atacaram (11 pontos) –exatamente a mesma receita empregada nos jogos e torneios anteriores.

FICHA DO JOGO

AFP
Turkoglu lamenta: astro turco não conseguiu evitar a derrota. Mais fotos
EUA 81
Rose, Billups, Iguodala, Durant, Odom, Westbrook, Gay, Granger, Curry, Gordon, Love e Chandler.

Turquia 64
Tunçeri, Onan, Ilyasova, Türkoglu, Asik, Gönlüm, Akyol, Ermis, Erden, Savas, Arslan e Güler.

DIRETO DO GINÁSIO

VAIA
Primeiro-ministro Recep Erdogan foi recebido com enorme vaia ao fim do jogo.
PATRIOTISMO
Só os americanos não estavam enrolados em bandeiras de seu país no pódio.
HALL DA FAMA
Oscar, Sabonis, Divac e outros 13 receberam placas comemorativas no intervalo
PULANDO DE ALEGRIA
Durant comemorou o título com socos no ar à la Pelé e abraços nos colegas

MELHORES E PIORES

MIKE KRZYZEWSKI
Reuniu um grupo com poucos astros e jogadores jovens e montou um grande time
BOGDAN TANJEVIC
Deixou Turkoglu, que fazia excelente partida, no banco por mais de 15 minutos no 2º tempo
KEVIN DURANT
A capacidade de pontuar do ala é impressionante. E ele ainda deu dois tocos lindos
ERSAN ILYASOVA
Assim como na semifinal, sumiu: 7 pontos. Pouco para o líder do time nos primeiros jogos

 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host