UOL Esporte Basquete
 
Divulgação/CBB

Nenê Hilário participa de treinamento no Rio: em Brasília, não deve jogar

06/08/2010 - 13h00

Lesões de Nenê e Varejão dão sobrevida a Hátila Passos na seleção

Do UOL Esporte
Em São Paulo

As lesões de Nenê e Anderson Varejão, e a apresentação tardia de Tiago Splitter, estão dando sobrevida a Hátila Passos na seleção brasileira masculina de basquete. Na quinta-feira, a CBB (Confederação Brasileira de Basquete) confirmou que o pivô do Denver Nuggets está com dores na perna direita. A lesão deve tirá-lo do Super Four de Brasília, que começa no sábado.

QUEM É HÁTILA PASSOS?

  • Divulgação/CBB

    Nome: Hátila de Souza Passos
    Idade: 23 anos
    Altura: 2,12m
    Clube atual: Marinos (Venezuela)
    Clubes que já defendeu: Continental (SP), Hebraica (SP), New México State University (EUA), Sion Héres Basket (Suiça), Atenas (Uruguai)
    Na seleção: Sul-Americano de 2008

“Durante os treinos, o atleta [Nenê] sentiu dores leves na perna direita. Avaliamos que seria melhor diminuir a carga de treinos e que não participasse dos primeiros compromissos do Brasil. Nenê apresentou uma inflamação no tendão da perna direita, e apenas optamos por poupá-lo”, explicou o médico da seleção masculina, Carlos Andreoli.

Antes, quem preocupava pela forma física era Varejão. O jogador do Cleveland Cavaliers, também da NBA, perdeu algumas sessões de treinamento com dores nas costas. “O Anderson reclamou de fortes dores na lombar e identificamos uma contratura. Nada preocupante, mas optamos por poupá-lo por dois dias”, disse Andreoli, na semana passada.

O terceiro problema é Tiago Splitter. O jogador se apresentou uma semana depois dos outros atletas à seleção brasileira, após se casar, acertar sua transferência da Espanha para a NBA e ter alguns dias de férias. Longe de sua forma ideal, também recebeu atenção especial da comissão técnica.

Como os três jogam na mesma posição, o beneficiado por isso foi Hátlia Passos, pivô de 23 anos e 2,12m de altura, que estava jogando no basquete da Venezuela. O jogador inicialmente jogaria na seleção B, mas foi puxado por Rubén Magnano antes mesmo do Sul-Americano para treinar com o grupo principal.

Por causa das dificuldades físicas dos principais pivôs brasileiros, Hátila seguiu na seleção apesar dos cortes feito pelo técnico Rubén Magnano. Ele está no grupo que está em Brasília, para o Super Four. São 13 jogadores, 11 garantidos para o Mundial da Turquia, que começa no fim do mês.

O pivô luta pela última vaga com o jovem Raulzinho, que leva vantagem. Para a posição 1, o treinador argentino tem apenas Marcelinho Huertas e Nezinho. Raul seria a 3ª opção. Para o lugar de Hátila, são cinco nomes confirmados: Nenê, Varejão, Splitter, Guilherme Giovannoni e Murilo. A tendência é que o treinador argentino opte por levar um terceiro armador.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host