UOL Esporte Basquete
 
Divulgação/CBB

Magnano aguarda definição sobre estado clínico de Splitter e Nenê para fechar grupo

08/08/2010 - 16h48

Lesões de Nenê e Splitter fazem Magnano adiar definição para o Mundial

Do UOL Esporte
Em São Paulo

O argentino Rubén Magnano foi obrigado a adiar o último corte da seleção brasileira para o Mundial da Turquia, no fim do mês. Neste domingo, após a conquista do Super Four de Brasília, o treinador confirmou que os 13 atletas que estavam com a seleção na capital federal viajam na segunda-feira para os EUA.

 PIVÔS VIRAM DOR DE CABEÇA DO BRASIL

  • Divulgação/CBB

    Tiago Splitter sentiu um problema na coxa durante primeiro jogo do Super Four e foi poupado da final

  • Divulgação/CBB

    Lesão no tendão de Aquiles impediu Nenê Hilário de entrar em quadra durante o torneio preparatório

A mudança de planos foi causada pelas lesões dos pivôs Nenê e Tiago Splitter. O primeiro deve estar pronto para voltar a jogar em uma semana. O segundo sofreu uma lesão muscular de grau 1 na coxa esquerda no sábado e não entrou em quadra neste domingo contra Angola (vitória por 89 a 59).

O beneficiado com isso foi o pivô Hátila Passos, que segue com a seleção. O jogador é o sexto pivô do grupo, mas será mantido próximo caso um dos dois gigantes não consiga se recuperar. Quem parece garantido no Mundial é o garoto Raulzinho. O armador de 17 anos jogou nas duas partidas em Brasília e deve ser ir para a Turquia como a terceira opção para a posição 1 – Hátila é, atualmente, o 4º para a posição 5.

O Brasil viaja para os EUA na segunda-feira à noite, para disputar amistosos contra China (dia 12) e Porto Rico (dia 13). Depois, o time vai para a Europa, onde disputa torneios amistosos na Espanha (contra espanhóis e argentinos) e na França (contra os donos da casa, Ilhas Virgens e Austrália). O Mundial começa no dia 28.

Os jogadores consideraram positiva a fase brasileira da preparação. Neste domingo, apesar da vitória tranqüila, o time teve problemas contra Angola. No 3º quarto, o time sofreu um apagão e deixou os angolanos dominarem na defesa e no ataque.

“Destaco o espírito de equipe e a atitude defensiva do grupo, que foi ótima. Melhoramos consideravelmente nos rebotes, que foi o ponto fraco da partida de ontem. Isso mostra o foco e comprometimento de todos em fazer as coisas da melhor maneira possível em quadra”, falou Magnano.

“Jogamos bem. Estamos em fase de preparação e ainda falta um pouco de ritmo de jogo, mas vamos adquiri-lo com o tempo. Precisamos melhorar sempre”, disse o ala Alex, que começou na reserva de Marquinhos contra os africanos.

“A atitude merece nota dez. Cometemos alguns erros bobos, mas temos que melhorar até o início do Campeonato Mundial. Temos também que manter os pés no chão porque ainda falta muito para chegarmos onde queremos, mas está todo mundo com o mesmo foco e isso facilita”, completou o armador Marcelinho Huertas.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host