UOL Esporte Basquete
 
12/08/2010 - 08h26

Nenê e Splitter evoluem, e Magnano "põe" Raulzinho no Mundial

Murilo Garavello
Em Nova York*
  • <b>RAULZINHO: O RICKY RUBIO BRASILEIRO</b><br><br> Quando entrou em quadra pelo Minas contra o Iguaçu em abril de 2008, Raul Togni Neto passou quase despercebido. Mas, com apenas 15 anos de idade, se tornou o mais jovem jogador a atuar e marcar pontos por um torneio nacional. Agora, apenas dois anos depois, está perto de um dos maiores sonhos de um jogador profissional.<br><br> No mês passado, ele foi chamado apenas para treinar com o time principal e ganhar experiência na seleção brasileira, mas depois de duas semanas de treino e com a dispensa de Paulinho Boracini, está perto de fazer parte do grupo que vai disputar o Mundial da Turquia, que começa no fim deste mês.

    RAULZINHO: O RICKY RUBIO BRASILEIRO

    Quando entrou em quadra pelo Minas contra o Iguaçu em abril de 2008, Raul Togni Neto passou quase despercebido. Mas, com apenas 15 anos de idade, se tornou o mais jovem jogador a atuar e marcar pontos por um torneio nacional. Agora, apenas dois anos depois, está perto de um dos maiores sonhos de um jogador profissional.

    No mês passado, ele foi chamado apenas para treinar com o time principal e ganhar experiência na seleção brasileira, mas depois de duas semanas de treino e com a dispensa de Paulinho Boracini, está perto de fazer parte do grupo que vai disputar o Mundial da Turquia, que começa no fim deste mês.

Rubén Magnano "escalou" na última quarta-feira o armador Raulzinho, 17, para o Mundial de basquete ao afirmar que o pivô Hátila Passos, 23, tem chances mínimas de ir à Turquia.

Como Nenê e Splitter sofreram pequenas lesões na semana passada, o técnico argentino optou por trazer aos EUA os 13 jogadores que "sobraram" nos treinos do time após os cortes iniciais. Os dois pivôs estão melhorando e, caso não haja contratempos, deverão estar prontos para a estreia do Brasil, contra o Irã, no dia 28 de agosto.

"Com Tiago Splitter e Nenê se recuperando, é o Hátila quem fica de fora. Já posso falar que é ele quem sai", afirmou Magnano após o treino de quarta-feira à noite. "Temos que lembrar que o Hátila foi convidado para treinar. Ele ficou fora até do Sul-Americano. Caso Splitter ou Nenê não possam disputar o Mundial, posso até trazer um novo jogador. Terei de avaliar a situação".

A hipótese de isso acontecer parece pequena. Nenê já está treinando com o time, em um ritmo um pouco menos intenso do que os demais. Na terça-feira, o pivô treinou 1h15 minutos pela manhã e, no treino da noite, fez arremessos e alguns exercícios mais leves.

De acordo com o médico Carlos Andreoli, a inflamação no tendão calcâneo está curada. "Queremos colocá-lo para treinar normalmente chegando na Espanha. Ele não deve enfrentar Espanha e Argentina, mas estará pronto para os três amistosos finais", disse, referindo-se aos jogos contra Austrália, Ilhas Virgens e França, entre 22 e 24 de agosto, no Torneio de Lyon (França).

Já Splitter, com uma pequena contratura na coxa, está em um estágio anterior de recuperação. "Ele está no quinto dia de uma lesão que dura entre sete e dez dias. Ele não sente mais dores, mas vamos ser muito prudentes com ele", disse Andreoli. A expectativa do médico é que Splitter possa jogar algum dos amistosos no Torneio de Lyon.

*O jornalista Murilo Garavello viajou a convite da Nike

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host