UOL Esporte Basquete
 
Divulgação/CBB

Leandrinho espera recuperar o bom desempenho que o colocou em destaque na NBA

13/08/2010 - 07h01

Leandrinho quer "começar do zero" após ano difícil e promete "brigar pelo caneco"

Murilo Garavello
Em Nova York*

Bandejas suaves após passadas velocíssimas no contra-ataque. Penetrações esguias brecadas apenas com faltas pela defesa oponente. O inconfundível arremesso à frente do corpo na linha dos três pontos funcionando com eficiência. Após um ano complicado na NBA, Leandrinho trocou de time antes de se apresentar à seleção. E mostrou contra a China que está em forma, com 25 pontos em 26 minutos em quadra. Pronto para, em suas palavras, “começar do zero” e ajudar o Brasil a “brigar pelo caneco” no Mundial da Turquia.

          PERDENDO ESPAÇO NO PHOENIX

Temporada Minutos Pontos por jogo Assistências
2006-07 32min42s 18,1 4
2007-08 29min30s 15,7 2,6
2008-09 24min23s 14,2 2,3
2009-10 17min53s 9,5 1,5

“Nosso time está completo, fazia muito tempo que não tínhamos todo mundo junto. Nosso objetivo é mesmo o caneco. Se não der, quero no mínimo uma medalha”, diz o jogador do Toronto Raptors, equipe canadense pela qual ele disputará a próxima temporada da NBA depois de ser envolvido em uma troca em julho. Um ponto final não muito feliz em uma trajetória de seis anos no Phoenix Suns.

No fim de janeiro deste ano, o brasileiro passou por uma cirurgia para retirada de um cisto no punho direito no fim de janeiro deste ano. Por conta da operação, ficou quase dois meses sem atuar e acabou perdendo espaço no time. Nos 30 jogos do Phoenix, de seu retorno à eliminação pelo LA Lakers, nos playoffs, o brasileiro não atuou mais de 22 minutos nenhuma vez. Em parte, culpa do crescimento do esloveno Goran Dragic, que ele enfrentará no Mundial.

LEANDRINO CONTRA CHINA

  • 26

    minutos

    foi o tempo do brasileiro em quadra

  • 25

    pontos

    foram convertidos pelo ala-armador

  • 3

    acertos

    em quatro arremessos de três pts

  • 8

    acertos

    em nove lances livres batidos

  • 2

    assistências

    foram distribuídas pelo brasileiro

  • 1

    roubada de bola

     

  • Nenhum

    erro

     

A rigor, entretanto, desde 2006-2007, quando foi eleito o melhor reserva da temporada e atingiu média superior a 18 pontos por partida, seu tempo de quadra –e, consequentemente, seus números- foram caindo (veja tabela 2) ano a ano até a queda vertiginosa desta temporada.

Jerry Colangelo, coordenador da seleção americana, responsável por seu draft e pai de Bryan Colangelo, general-manager (espécie de diretor-geral) do Toronto Raptors, acredita que o brasileiro terá “uma enorme chance de ser bom novamente”.

“Bryan tem excelentes expectativas em relação a ele”, disse Colangelo nesta quinta-feira em entrevista à imprensa brasileira. “Ele é rápido como um gato tem uma primeira passada veloz demais. E, como pessoa, ele é excepcional, é um excelente garoto. Creio que o Toronto vai ser um maravilhoso reinício para ele. Às vezes, a mudança de ares traz efeitos excelentes”.

Leandrinho concorda e vê o Mundial como o começo de uma nova época. “Quero começar do zero. Aqui na seleção ainda temos algumas coisas para melhorar, mas estamos no caminho certo. Depois, no Toronto, vou conseguir jogar muitos minutos e estou muito animado com isso”, disse o brasileiro.

*O jornalista Murilo Garavello viajou a convite da Nike.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host