UOL Esporte Basquete
 
Murilo Garavello/UOL Esporte

Michael Jordan roubou a cena em evento realizado em Nova York

13/08/2010 - 12h37

Michael Jordan ofusca astros da NBA em clínica para jovens

Murilo Garavello
Em Nova York*

A popularidade do melhor jogador da história continua em alta. Nesta sexta-feira, Dwyane Wade, Carmelo Anthony e Chris Paul, três dos mais famosos jogadores da NBA, participavam de uma clínica para jovens no Rucker Park, no Harlem, o palco mais sagrado e repleto de histórias do basquete de rua nova-iorquino.

MICHAEL JORDAN ROUBA A CENA EM NY

  • A presença de Michael Jordan causou alvoroço em clínica de basquete realizada em Nova York

  • Astros da NBA, como o armador Chris Paul, foram ofuscadas pela presença do ex-atleta dos Bulls

A clínica começou apenas com instrutores. Os três astros da NBA entraram um de cada vez, com diferença de alguns minutos entre eles. Foram aplaudidos. Surpreenderam os meninos, que aparentemente não sabiam o que os esperava. Nada, entretanto, comparável ao ruído que a aparição e o quase simultâneo anúncio da presença de Michael Jordan provocou. De abrigo azul claro, cores da Universidade da Carolina do Norte, que ele defendeu quando jogador, o dono do Charlotte Bobcats não encostou em nenhuma bola de basquete. Manteve-se do lado de fora, sorrindo, fazendo caretas de sarcasmo, contentando os presentes apenas com seu carisma.

Pouco depois, os quatro sentaram-se em cadeiras à frente dos cerca de 30 meninos que haviam participado da clínica. Instados por um mestre de cerimônias, falaram da paixão pelo basquete. Paul disse que tem vontade de jogar sempre que vê uma quadra. Carmelo contou que na infância batia bola em casa, no chão, na parede, recebia broncas de sua mãe. Para Wade, o basquete era uma espécie de terapia para esquecer os problemas.

Então, Jordan mais uma vez ofuscou as estrelas atuais. Explicou que exigiu, ao fechar um contrato com o Chicago Bulls, a inclusão de uma cláusula que permitisse a ele jogar basquete sempre que quisesse. “Os grandes jogadores aqui ao lado precisam pedir autorização a seus times para entrar em quadra. Eu não queria isso. Podia parar o carro e simplesmente entrar em uma quadra de basquete, sem dar satisfações a ninguém. Para mim, isso é amor ao jogo”.

Escoltado por seguranças, saiu da quadra, menos de meia hora depois de entrar, acenando para pessoas nas arquibancadas, seguido por meia centena de pessoas ávidas por chegar mais perto do maior jogador da história do basquete.

Jordan seguiu para Springfield, em Massachusetts, onde fará o discurso de introdução ao Hall da Fama de seu ex-colega do Chicago Bulls, Scottie Pippen. A cerimônia também incluirá o brasileiro Ubiratan Maciel, morto em 2002.

*O jornalista Murilo Garavello viajou a convite da Nike

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host