UOL Esporte Basquete
 
Murilo Garavello/UOL

Astro do Los Angeles Lakers destacou importância dos fundamentos aos "alunos"

14/08/2010 - 17h02

''Professor'' Kobe ensina a meninos o perfeccionismo que o consagrou

Murilo Garavello
Em Nova York*

Talvez tanto quanto ama jogar basquete, Kobe Bryant ama falar sobre basquete. Adora discutir detalhes de cada jogada e a maneira exata de realização para torná-la efetiva. Para ele, basquete é execução. No documentário Kobe Doin’ Work, de Spike Lee, Kobe revela bastidores do basquete e menciona esta palavra, execução, incontáveis vezes. E foi isso que o “professor” Kobe Bryant transmitiu a seus “alunos”, em um pequeno curso de basquete neste sábado, em Nova York.

AS AULAS DO PROFESSOR KOBE BRYANT

  • Murillo Garavello/UOL

    Astro da NBA, Kobe Bryant deu aulas de basquete para crianças em clínica realizada em Nova York...

  • ... em seguida, deu continuidade à lição durante entrevista coletiva concedida dentro da loja da Nike.

O astro, que ganhou neste ano seu quinto título de NBA pelo Los Angeles Lakers foi escalado por um de seus patrocinadores para participar de dois eventos com crianças, jovens e imprensa neste sábado. E exibiu interesse, simpatia e um pouco de sua visão de basquete.

O primeiro evento foi realizado no Rucker Park, tradicional palco do basquete de rua nova-iorquino. Kobe chegou às 10h, de óculos escuros e casaco, apesar do sol forte. E, diferentemente de Carmelo Anthony, Chris Paul e Dwyane Wade, que na sexta-feira estiveram presentes ao evento e se limitaram a bater bola com os jovens, Kobe queria ensinar. Transmitir experiência.

Logo que chegou tomou o microfone e chamou um dos meninos que fazia um exercício para fixar a postura defensiva. “Gosto muito da sua postura, mas há uma coisa que pode ser melhor. Você precisa manter seus pés um pouco mais afastados, ampliando sua base para que o atacante tenha mais dificuldades para te superar”, disse, mostrando como.

Não era um astro apenas sorrindo, acenando, cumprindo burocraticamente sua obrigação com quem lhe paga muito dinheiro – apesar de Kobe ter, sim, sorrido, acenado, tirado fotos com meninos. Era um ídolo transmitindo instruções concretas, dicas práticas, conselhos. “Na hora de arremessar, vocês não precisam se preocupar em soltar a bola exatamente do jeito perfeito, como são ensinados pelos professores. Esse é o começo, a base, mas vocês precisam se sentir confortáveis, relaxados com a posição. Precisam treinar bastante para encontrar essa posição”.

O QUE DIZ O "PROFESSOR"

Há algo que os europeus fazem muito bem e nós temos de evoluir: precisamos ensinar as nossas crianças a jogar sem a bola.

Kobe Bryant, comparando o basquete norte-americano e europeu

Defesa e rebote são as coisas mais importantes, não importa onde e como você jogue.

Kobe, destacando importância dos fundamentos

Os meninos estavam divididos em três grupos. Reuniu cada um deles pelo menos duas vezes para dar instruções coletivas. Cobrou-os. “Ei, faça essa finta direito! Não adianta só levantar a bola”, disse, pedindo a bola ao menino. “É preciso fazer o movimento exato que você faz quando vai arremessar, para enganar, mesmo, seu oponente”, ensinou. Então, o “aluno” melhorou a execução e ouviu: “Obrigaaaado”.

As lições, individuais e coletivas, de como executar melhor as jogadas, continuaram. “Na defesa, mantenha os braços muito ativos, sempre se mexendo. Senão é fácil para seu oponente fazer uma cesta na sua cara”. Mostrou como, ao se fazer uma bandeja de esquerda, não se deve trazer a bola para a direita (mostrando-a ao adversário); é melhor mantê-la sempre do lado esquerdo, usando o corpo para evitar a ação defensiva do marcador. Ao enxergar um aluno quicando a bola e fazendo uma mudança de direção, pediu a bola e frisou a importância de se usar os ombros para iludir o oponente.

“Amo jogar. Quero sempre estar na quadra. Creio que o meu combustível é uma espécie de curiosidade. Estou sempre atrás de aprender alguma coisa nova no basquete, incorporar algo ao meu jogo”, disse em entrevista a um moderador escalado pelos organizadores do evento, após encerrar as lições com um discurso de cerca de dois minutos para os “alunos”.

Logo em seguida, Kobe foi a uma loja da Nike. Dezenas de crianças receberam-no aos gritos de “Kobe, Kobe, Kobe”. E ouviram do astro: “o verão (meses em que os jogadores estão de férias antes do início da próxima temporada) é a hora mais interessante. É o momento que tenho para me aperfeiçoar, para buscar ‘algo a mais’ dentro de quadra. ‘Ah, fazer isso desta maneira pode ser interessante. Hm, isso possa usar naquela situação’", afirmou.

*O jornalista Murilo Garavello viajou a convite da Nike

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host