UOL Esporte Basquete
 
15/08/2010 - 17h38

EUA mostram força no primeiro amistoso e vencem França por 31 pontos

Murilo Garavello
Em Nova York*
  • Thierry Henry (esquerda), Eva Longoria (centro) e Tony Parker acompanham jogo entre EUA e França. Armador é o principal desfalque de sua seleção para o Mundial da Turquia. Equipe dos Estados Unidos venceu com tranquilidade por 86 a 55, em Nova York

    Thierry Henry (esquerda), Eva Longoria (centro) e Tony Parker acompanham jogo entre EUA e França. Armador é o principal desfalque de sua seleção para o Mundial da Turquia. Equipe dos Estados Unidos venceu com tranquilidade por 86 a 55, em Nova York

Defesa forte, contra-ataque rápido, arremessos de três pontos e pontuação distribuída entre muitos jogadores. Os EUA exibiram neste domingo, em seu primeiro amistoso, quais serão as principais armas da equipe no Mundial da Turquia, que começa no dia 28. A equipe se recuperou de um início lento para encaixar alguns minutos de basquete muito eficiente e derrotar a França por 86 a 55 no Madison Square Garden, em Nova York.

Os EUA imprimiram uma defesa impressionante desde o sobe-bola inicial. Mesmo sem muita ajuda de Chauncey Billups, que não é exatamente um especialista em defesa, os outros titulares, Rajon Rondo, Andre Iguodala, Kevin Durant e Tyson Chandler, todos excelentes marcadores, sufocaram o rival. A França demorou mais de quatro minutos para conseguir os primeiros pontos. Como o ataque americano também começou descalibrado, o time não conseguiu abrir vantagem.

A pressão defensiva americana permaneceu forte durante quase toda a partida. O resultado foram erros bisonhos da França – de bolas perdidas pouco depois do meio da quadra a arremessos que passaram longe do aro. E muitas dessas falhas geraram contra-ataques: os americanos fizeram 20 pontos nesse fundamento, contra apenas 2 dos franceses.

Como tem apenas um pivô à disposição, Tyson Chandler, o técnico americano, Mike Krzyzewski declarou nesta semana que tem grande preocupação com os rebotes. Contra a França, o fundamento não foi um problema: a um minuto do fim do jogo, os EUA somavam 32 rebotes, contra 30 do rival.

Após terminar a primeira etapa com uma vantagem de 39 a 30, os EUA tornaram o jogo fácil no início do terceiro quarto, com 16 pontos marcados e 4 logo nos primeiros minutos do período. O armador Chauncey Billups, que atuou mais como um arremessador, deixando a armação principalmente para Rajon Rondo, fez nove pontos nesse trecho – e 17 no total. Acabou sendo eleito o melhor do jogo.

EUA CORTAM DOIS: JEFF GREEN E JAVALE MCGEE

O ala Jeff Green, do Oklahoma City Thunder, e o pivô JaVale McGee, do Washington Wizards, foram cortados antes do início do jogo contra a França. Agora, o elenco americano conta com 13 jogadores –ou seja, haverá mais um corte. O armador Russell Westbrook, que entrou apenas no último quarto do duelo contra a França, é o mais cotado para deixar a equipe.

A partida mostrou, também, quais são os jogadores mais importantes da rotação americana: além dos titulares, o experiente Lamar Odom foi bastante utilizado, como uma espécie de contraponto à juventude da equipe, que tem cinco jogadores de 21 anos e outros dois de 22. Ficou evidente, também, o potencial dos EUA: o cestinha da partida foi o reserva Rudy Gay, com 19 pontos.

Ontem, em um treino contra a China, que teve o placar zerado a cada novo quarto, o principal pontuador havia sido o ala Danny Granger, que hoje esteve apagado.

Os EUA serão adversários do Brasil no dia 30 de agosto, pela primeira fase do Mundial da Turquia. As duas seleções compõem o grupo B ao lado de Croácia, Eslovênia, Irã e Tunísia.

*O jornalista Murilo Garavello viajou a convite da Nike

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host