Basquete

Paulistano aponta erro do Bauru e cogita ir ao STJD parar Liga Nacional de Basquete

Alexandre Sinato

Do UOL, em São Paulo

12/04/2012 16h55

Os playoffs da Liga Nacional de Basquete (LNB) começam nesta sexta-feira, mas o Paulistano ameaça tentar a paralisação do campeonato. O clube da capital paulista enviou uma representação ao conselho disciplinar da LNB reclamando da maneira como o pivô Jeff Agba, do Bauru, cumpriu sua suspensão de três jogos. Se a entidade não apresentar uma resposta satisfatória, segundo o Paulistano, o próximo passo será acionar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

BAURU PERDEU JOGO COM JEFF E GANHOU QUANDO ELE FICOU SUSPENSO

  • Sérgio Domingues/Divulgação

    A confusão envolvendo Jeff, do Bauru, tem seu lado curioso. No jogo em que o pivô norte-americano atuou equivocadamente, na visão do Paulistano, o Bauru perdeu por 71 a 64 da Liga Sorocabana. Já o duelo em que Jeff cumpriu suspensão, diante do Minas, o Bauru venceu por 76 a 75.

“Com certeza [cogito ir ao STJD], não vou parar na metade tudo que fizemos até agora. Não quero ter que ir ao tribunal, mas não vou compartilhar com nenhuma sujeira só para não parar o campeonato e atrapalhar a Globo. Se o conselho mostrar um artigo que explique o ocorrido, serei o primeiro a pedir desculpa. Mas existe um erro e precisa haver uma punição”, protestou o diretor de basquete do Paulistano, Jorge Bauab.

A reclamação do Paulistano está baseada na suspensão do pivô Jeff Agba, do Bauru. Desqualificado em jogo do dia 2 de fevereiro, ele cumpriu a suspensão automática na partida seguinte, dia 4, contra o São José. No dia 15 de março, Jeff foi suspenso por três jogos. Como cumpriu um automaticamente e outro foi convertido em cestas básicas, Jeff teve mais um jogo de suspensão.

A partida seguinte ao julgamento ocorreu no dia 6 de abril, diante da Liga Sorocabana, quando Jeff atuou normalmente. O norte-americano só cumpriu a suspensão que faltava no dia 8 de abril, contra o Minas. Para complicar ainda mais o caso, o jogo do dia 6 de abril, contra a Liga Sorocabana, foi antecipado e valeu pela 30ª rodada, enquanto o duelo de dois dias depois, contra o Minas, valeu pela 28ª rodada. O julgamento aconteceu entre a 27ª e a 28ª rodada.

LIGAS COMEÇARAM APÓS DISPUTA JURÍDICA DE 2006

Uma disputa que acabou na Justiça foi justamente o passo inicial para o surgimento de ligas organizadas pelos clubes e não mais pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB). Em 2006, Franca e Ribeirão Preto se classificaram para a decisão, mas o campeonato foi interrompido devido a uma ação do Brasília.

O Brasília foi eliminado no hexagonal semifinal depois de perder um jogo para o Rio de Janeiro de Oscar Schmidt. Inconformado, o clube foi para o tapetão para protestar contra a inscrição do armador Arnaldinho. E conseguiu.

Segundo a Liga Nacional de Basquete, o imbróglio está justamente nesse ponto. Se a punição seguir a ordem das rodadas, o Bauru agiu corretamente. Mas se a punição seguir a ordem dos jogos por datas, o argumento do Paulistano está correto. A LNB confirma que recebeu a representação do Paulistano, mas alega que o andamento do processo depende da comissão disciplinar e não há previsão alguma.

De acordo com o Paulistano, o Bauru “escolheu” contra quem seria a suspensão de Jeff. “Tive que ouvir em reunião da Liga que o Bauru não teve má fé, mas no esporte não existe má fé, existe o certo e o errado. Não podemos abrir esse precedente. Se não for feito nada, outro time pode escalar um jogador suspenso contra um adversário mais forte, deixá-lo fora no jogo seguinte contra um adversário mais fraco e dizer que não teve má fé”, argumentou Jorge Bauab.

O Paulistano avançou às oitavas de final na sétima posição com os mesmo 45 pontos do Bauru, sexto colocado. Se o Bauru for punido com a perda de pontos, o Paulistano ganharia uma posição na tabela. Nos playoffs, o Paulistano deixaria de enfrentar o Franca e pegaria a Liga Sorocabana.

“Não estamos escolhendo adversário, até porque vencemos os dois jogos da primeira fase contra Franca e Liga Sorocabana, só não queremos esconder a sujeira sob o tapete só para não atrapalhar a tabela ou só porque a Globo está pedindo. Não queremos que o basquete volte aos erros do passado”, disse Bauab, lembrando que partidas dos playoffs serão transmitidas pelos canais da emissora carioca.

O diretor do Paulistano afirma ainda que, caso o Bauru perca pontos em eventual punição, o Paulistano ganharia uma posição na tabela. “Isso aumentaria nossas chances de participarmos de um torneio internacional. O sexto tem mais chances que o sétimo”, completou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Esporte Ponto Final
Redação
Redação
Bala na Cesta
Na Vitrine
Redação
Redação
Redação
Redação
Bala na Cesta
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
Redação
Bala na Cesta
Blog Olhar Olímpico
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
UOL Esporte
Redação
Redação
Bala na Cesta
EFE
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Redação
Topo