Basquete

Ex-vendedor de relógios falsificados hoje brilha na NBA

Do UOL, em São Paulo

29/03/2016 06h00

Em poucos anos, ele deixou de vender relógios falsificados para se tornar um jogador de destaque na NBA. Trocou a dúvida se teria dinheiro para jantar por um contrato na principal liga de basquete do mundo. Essa foi a mudança na vida de Giannis Antetokounmpo, um grego filho de nigerianos que descobriu sua capacidade de jogar em todas as posições.

Antes de ser a primeira escolha do Milwaukee Bucks no draft de 2013, Giannis estava na segunda divisão grega. Foi o basquete que transformou sua vida. Ao lado dos irmãos, o jogador costumava ajudar os pais a ganhar dinheiro vendendo produtos falsificados em um bairro pobre de Atenas. O comércio de relógios, bolsas e óculos escuros determinava muitas vezes se a família teria o que comer à noite.

“Havia dias em que se a gente não vendesse nada não teria o que comer. Além disso, estávamos sempre preocupados se a polícia iria nos parar e nos expulsar do país. Foi difícil”, relembrou Giannis quando chegou à NBA. Seus pais, nigerianos, chegaram em 1992 à Grécia e viveram ilegalmente por lá durante duas décadas.

O pai, Charles, era jogador de futebol na África. A mãe, Veronica, praticava salto em altura. Na Grécia,ele se transformou num “faz tudo”, enquanto a mãe virou babá. Quando a polícia parava alguém da família, a desculpa oficial era que os documentos estavam em casa. Mas Giannis ajudou mais do que com a venda de produtos falsificados.

Ainda adolescente, passou a jogar basquete no Filathlitikos, da segunda divisão grega. A alta estatura combinada com velocidade e habilidade logo chamaram a atenção do CAI Zaragoza, que o contratou por três anos em dezembro de 2012. Giannis escolheu terminar a temporada no Filathlitikos e antes que pudesse jogar na Espanha, conseguiu uma vaga na NBA.

Foi selecionado em 2013 pelo Milwaukee e está lá até hoje, após duas extensões no seu vínculo. Aos 21 anos, 2,11m de altura e mais de 2,20m de envergadura, Giannis Antetokounmpo chama atenção pela visão de jogo e versatilidade. Vendo isso, Jason Kidd, técnico do Milwaukee e um dos maiores amadores da NBA, decidiu apostar no grego também na armação.

“Fiquei surpreso com a ideia. Disse a ele que não achava ser capaz”, contou Giannis, apelidado nos EUA de “The Alphabet” (“O Alfabeto”, pela complexidade do seu nome) e Greak Freak (“grego anormal”). Neste ano, Giannis conseguiu seu primeiro “triple-double” em fevereiro e já repetiu a dose outras vezes. Suas médias nos primeiros jogos após a mudança de posicionamento subiram. E todos estão de olho para saber até onde vai a evolução do grego.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
AFP
Redação
Bala na Cesta
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
UOL Esporte
Redação
UOL Esporte
Bala na Cesta
Redação
UOL Esporte
LancePress
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
UOL Esporte
Topo