Topo

Basquete

Liga Nacional apoia punição à CBB, mas critica extensão da pena a clubes

Pedro Ivo Almeida / UOL Esporte
Torcida do Flamengo, que não poderá disputar a Liga das Américas em função de punição à CBB Imagem: Pedro Ivo Almeida / UOL Esporte

Do UOL, em São Paulo

15/11/2016 18h52

Em nota oficial emitida nesta terça-feira (15), a LNB (Liga Nacional de Basquete) manifestou apoio à decisão da Fiba (Federação Internacional de Basquete), que suspendeu a CBB (Confederação Brasileira de Basketball) ao menos até 28 de janeiro de 2017. No entanto, o respaldo não é irrestrito: a despeito de ter classificado a punição como “compreensível”, a entidade que representa equipes nacionais condenou a extensão a clubes locais – Bauru Basket e Flamengo, que representariam o país na Liga das Américas, foram alijados por causa da pena imposta à confederação.

“É importante registrarmos nossa insatisfação no impedimento de que nossas equipes, Clube de Regatas Flamengo e Bauru Basket, disputem a próxima edição da Liga das Américas, direito adquirido no mérito esportivo e que já exigiu esforços específicos dessas equipes em seu planejamento”, disse a LNB na nota. “Uma medida como essa serve apenas para agravar a situação”, completou.

Na última segunda-feira (14), após congresso realizado na Suíça, a Fiba anunciou que a CBB havia sido suspensa por “falta de controle total do basquete no país”. A entidade internacional citou razões como ausência de equipes locais em competições, falta de plano para reestruturar a eleição e falha na organização do World Tour de basquete 3x3, que seria no Rio de Janeiro.

A punição também tem a ver com pendências financeiras da CBB. Apesar de a entidade dizer ter resolvido todas as questões relacionadas ao pagamento por uma vaga no Mundial de basquete masculino de 2014, nem todo o montante foi pago. A Fiba havia condicionado a participação do Brasil nos Jogos Olímpicos Rio-2016 ao desfecho dessa dívida.

A CBB foi surpreendida pela decisão do ente internacional. Dirigentes brasileiros esperavam que a punição não passaria de advertência ou repreensão pública. Até por isso, não havia qualquer plano de contingência formatado quando a suspensão foi anunciada.

Com a suspensão, o Brasil está fora de todas as competições internacionais realizadas até janeiro – o país não tinha qualquer previsão de calendário no período. Além disso, os times locais foram impedidos de disputar a Liga das Américas.

“A LNB reitera o apoio que sempre prestou à Fiba e entende que tal ato é compreensível na medida em que se busque o caminho para a retomada do crescimento do basquetebol no Brasil”, escreveu a liga. “Essa ação, por mais dura que possa parecer, deve trazer consigo a esperança, o entendimento e a soma de esforços para que solucionemos os graves problemas que afligem nossa confederação”, prosseguiu.

Consultado pelo UOL Esporte, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) disse que ainda aguarda um posicionamento da CBB para então se posicionar sobre a suspensão.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!