Basquete

Estrelas dos Bulls fazem guerra de indiretas em meio a temporada medíocre

Jonathan Daniel/Getty Images/AFP
Liderança de Jimmy Butler e Dwyane Wade foi questionada por Rondo Imagem: Jonathan Daniel/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

27/01/2017 16h35

Uma crise interna foi instalada dentro do Chicago Bulls. Após uma pré-temporada com pompa, com a chegada de Dwyane Wade e Rajon Rondo para formar o time titular ao lado da estrela Jimmy Butler, a antiga equipe de Michael Jordan teve uma queda acentuada de rendimento depois de um bom início da atual edição da NBA.

Com 23 derrotas e 24 derrotas, os Bulls estão na oitava colocação da Conferência Leste, no que seria a última vaga nos playoffs caso a temporada terminasse nesta sexta-feira (27). O desempenho ruim recente, em especial contra adversários da parte de cima da tabela, aumentou conflitos internos que vinham ocorrendo na equipe desde que o armador Rajon Rondo foi mandado para o banco de reservas.

Com mensagem veladas, sem citar nomes, as estrelas do time titular dos Bulls, Jimmy Butler e Dwyane Wade, soltaram o verbo contra os companheiros após a derrota da última quarta-feira (25). Com 10 pontos de vantagem sobre o Atlanta Hawks a três minutos do fim da partida diante do torcedor em Chicago, o time da casa cedeu a virada ao rival, quarto colocado no Leste, e perdeu por 119 a 114.

“Isso não pode ser aceitável se você quer fazer qualquer coisa além de vestir uma camisa da NBA e fazer algum dinheiro. Isso é o que todos nós estamos fazendo aqui. Eu tenho 35 anos. Tenho três títulos. Não deveria doer mais para mim do que dói para esses jovens. Tem que mudar, tem que doer por dentro perder jogos desta forma. Isso deveria doer”, criticou Wade, autor de 33 pontos na partida, à ESPN americana.

O veterano eximiu Jimmy Butler, autor de 40 pontos no jogo, das reclamações. “Eu posso olhar para Jimmy (Butler) e dizer que ele está fazendo seu trabalho. Ele pode olhar para mim e dizer que Dwyane está fazendo seu trabalho”, afirmou.

Eleito titular do All Star Game deste ano, Butler também cobrou os colegas e declarou que eles deveriam fazer tudo o possível para ajudar o time vencer, em ambos os lados da quadra.

As declarações não foram bem recebidas pelos mais jovens do elenco, como o armador Jerian Grant., que tuitou: “eu jogo esse jogo desde os quatro anos de idade. Basquete está no meu sangue e significa muito mais para mim do que apenas o salário no fim do mês”.

Quem foi mais incisivo na guerra de indiretas, no entanto, foi outro veterano. Rajon Rondo escreveu um texto em seu Instagram criticando a atitude de Butler e Wade e questionando a liderança de ambos. O armador de 30 anos lembrou do início de sua carreira em Boston e elogiou “seus” veteranos, Paul Pierce e Kevin Garnett. Leia a mensagem traduzida:

“Meus veteranos nunca iriam para a imprensa. Eles viriam ao time. Meus veteranos não escolhiam quando eles iam dar tudo. Eles davam tudo toda vez que eles pisavam na quadra, fosse um treino ou jogo. Eles não tiravam dias de folga. Meus veteranos não ligavam para seus números. Eles jogavam para o time. Quando perdíamos, eles não nos culpavam. Eles assumiam responsabilidade e voltavam para trabalhar. Eles mostravam aos jovens o que significava trabalhar. Mesmo em Boston, quando tínhamos a melhor campanha da liga, se você perdia um jogo, dava para ouvir um alfinete cair no ônibus. Eles mostravam para nós a seriedade do jogo. Meus veteranos não tinham influência na comissão técnica. Eles não podiam mudar o plano de jogo porque ele não funcionava para eles. Eu joguei para um dos melhores treinadores e ele dava responsabilidade a todos. É necessário de 1 a 15 para vencer. Quando você isola todo mundo, você não pode vencer consistentemente. Eu posso ser um monte de coisas, mas não sou um mau companheiro de time. Meu objetivo é passar o que aprendi adiante. Os jovens trabalham. Dão a cara a bater. Eles não merecem culpa. Se alguma coisa é questionável, é a liderança.”

Instagram/Reprodução
Imagem: Instagram/Reprodução

Bobby Portis, um dos jovens do elenco, curtiu a publicação, assim como, curiosamente, Dwyane Wade. A próxima oportunidade do Chicago Bulls colocar à prova a união do elenco é nesta sexta-feira (27), quando a equipe recebe o Miami Heat na United Center Arena.

Além do comportamento do elenco, será posta à prova a capacidade do técnico Fred Hoiberg. Ele está em sua segunda temporada no time e sofre pressão com o desempenho medíocre – na carreira na NBA, ele soma 65 vitórias e 64 derrotas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
AFP
Redação
Bala na Cesta
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
UOL Esporte
Redação
UOL Esporte
Bala na Cesta
Redação
UOL Esporte
LancePress
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
UOL Esporte
Topo