Basquete

Sem verba, Confederação de Basquete atrasa salários e até vale refeição

Divulgação/CBB
Carlos Nunes presidente da CBB Imagem: Divulgação/CBB

Fábio Aleixo

Do UOL, em São Paulo

01/02/2017 04h00

A grave crise financeira da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) não resultou apenas na suspensão imposta pela Federação Internacional de Basquete (Fiba) como tem afetado os seus funcionários. Sem verba em caixa, a entidade não está conseguindo arcar com salários e benefícios dos empregados.

Segundo o UOL Esporte apurou, o vale refeição não é pago desde janeiro, muitas pessoas estão sem vale transporte, o seguro de saúde só será válido até fevereiro, o FGTS de apenas dois dos últimos 16 meses foram pagos e membros da diretoria estão sem receber salários desde outubro.

A situação foi confirmada pela própria CBB após consulta da reportagem. A confederação alega uma série de complicações e diz não ter como dar uma previsão de quando tudo estará regularizado.

A não-renovação do contrato com o Bradesco, encerrado em dezembro, piorou ainda mais o panorama. O banco pagava cerca de R$ 8,5 milhões anuais. A entidade também está impedida de receber verba do Comitê Olímpico do Brasil (COB) por meio da Lei Agnelo/Piva enquanto não resolver sua situação com a Fiba.  O repasse previsto neste ano é de  R$ 3.467.205,08.

“A CBB estava em negociação com dois patrocinadores, mas ambos retiraram suas propostas após a suspensão imposta pela FIBA. No final de 2016, a CBB negociou com o COB e conseguiu a liberação para os funcionários do pagamento dos meses de outubro, novembro e dezembro, além do 13º salário. A Diretoria está desde outubro sem receber seus salários. O COB não pagou e não há perspectiva de pagamentos (incluindo o salário dos funcionários) a partir do mês de janeiro. Consequentemente, todas as contas da CBB estão atrasadas”, explicou a entidade por meio de sua assessoria de imprensa.

Consultado pela reportagem, o COB reafirmou que "só repassará recursos da Lei Agnelo/ Piva à CBB após decisão da Fiba em relação à suspensão da entidade máxima do basquete nacional".

Na sexta-feira, está marcada uma reunião na Suíça na qual será definido o que ocorrerá com a CBB. Participarão do encontro Usie Richards (presidente da Fiba Américas), Alberto Garcia (Diretor Executivo da Fiba Américas), Carlos Nunes (presidente da CBB), Gerasime Grego Bozikis (presidente da ABASU), João Fernando Rossi (presidente da LNB), Kourus Monadjemi (Comitê de Competições de Clubes e Ligas da Fiba Américas), Paulinho Villas Boas (ex-jogador da Seleção Brasileira e que trabalhou no Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016), além dos dois candidatos à presidência da CBB, Amarildo Rosa e Guy Peixoto.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
AFP
Redação
Bala na Cesta
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Topo