Basquete

Briga com Jordan e fúria anti-Trump: 5 coisas que você não sabia sobre Kerr

Ezra Shaw/Getty Images/AFP
Steve Kerr, técnico do Golden State Warriors, comemora o título da NBA em 2017 Imagem: Ezra Shaw/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

14/06/2017 11h55

Técnico do Golden State Warriors há três temporadas, Steve Kerr levou seu time à final da NBA três vezes e conseguiu dois títulos, que se juntam aos cinco que conquistou como jogador. A trajetória do treinador no basquete é cheia de episódios inusitados, como a vez em que apanhou de Michael Jordan e seu recente discurso anti-Donald Trump. A seguir, confira cinco coisas que você não sabia sobre o atual campeão da liga profissional americana.

Briga com Michael Jordan e soco na cara

Ainda como armador, Steve Kerr defendeu o Chicago Bulls entre 1993 e 1998, sendo três vezes campeão da NBA e dividindo o vestiário com Michael Jordan em 1995-1998 (temporadas: 1995-1996, 1996-1997 e 1997-1998). Certa vez, os dois se desentenderam durante treino, e a confusão acabou com soco na cara do atual técnico dos Warriors. O episódio, no entanto, acabou sendo bom para sua carreira.

"Discordei dele uma vez. Acho que ele me deu um soco na cara. Foi uma das melhores coisas que já me aconteceram. Eu precisava me impor e revidar, e acho que ganhei algum respeito. Mas temos um ótimo relacionamento desde então. Você tem que se provar e, uma vez que o faz, fica tudo bem", contou Kerr, em entrevista à "CSN" em 2012.

Arremesso do título no time de Jordan

Em seus 15 anos como armador, Kerr sempre foi coadjuvante. Sua temporada de maior produção ofensiva foi a 1993/1994, quando registrou média de 8,6 pontos por jogo pelos Bulls. Geralmente, cabia a Jordan brilhar ofensivamente no time de Chicago. Mas o cenário se inverteu na final de 1997.

Nos últimos segundos do jogo 6 da final, os Bulls empatavam com o Utah Jazz por 86 a 86. Foi quando Kerr recebeu assistências de Jordan e converteu o arremesso que garantiu a vitória e o consequente título para a equipe de Chicago.

Kerr retribuiu o favor no ano seguinte. Após errar arremesso de três, o então armador pegou o rebote e serviu Jordan, que fez cesta decisiva na segunda partida contra o mesmo Jazz, empatando a final em 1 a 1. Os Bulls venceriam a série novamente por 4 a 2.

Beth A. Keiser/AP
Imagem: Beth A. Keiser/AP

Perda trágica do pai em atentado

Aos 52 anos de idade, Malcolm Kerr, pai de Steve Kerr, foi assassinado com dois tiros na cabeça na saída de seu escritório na American University of Beirut, entidade que presidia em Beirute, no Líbano. O crime foi atribuído a grupo terrorista que mais tarde seria um dos elementos fundadores do Hezbollah.

Quando perdeu o pai, Kerr tinha apenas 18 anos de idade e estava em sua primeira temporada jogando basquete pela Universidade de Arizona. Em 1988, a torcida de Arizona State, rival de seu time, usou cantos sobre a tragédia para provocar o armador, que, com lágrimas nos olhos, respondeu com 20 pontos na primeira metade do jogo, acertando as primeiras seis bolas de três que tentou. Ele terminou a partida com 22.

Fúria contra Trump

Apesar de ter perdido seu pai em atentado terrorista, Kerr sempre se posicionou contra às atitudes de Donald Trump contra imigrantes, que afetaram cidadãos de países do Oriente Médio. O técnico dos Warriors é crítico ferrenho do presidente dos Estados Unidos desde o resultado das eleições.

“O homem que vai nos liderar usou rotineiramente palavras racistas, misóginas, insultantes. É difícil acreditar”, disse Kerr, em entrevista coletiva concedida pouco depois de Trump ser eleito.

Problema nas costas

Durante as finais da NBA de 2015, quando os Warriors venceram o Cleveland Cavaliers, Kerr começou a sofrer com dores nas costas. Por isso, o técnico perdeu o começo da temporada 2015/2016 e foi substituído por Luke Walton, que hoje é treinador do Los Angeles Lakers.

Para acelerar sua volta às quadras, Kerr optou por fazer uma operação nas costas ao invés de investir em tratamentos mais conservadores e pagou o preço por isso. O técnico começou a sofrer com vazamento de fluido cerebrospinal, que faz com que tenha fortes dores de cabeça.

O problema fez Kerr perder parte dos playoffs de 2017. Ele foi substituído nos jogos em que esteve fora por Mike Brown, seu auxiliar.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Redação
Redação
Redação
Colunas - Flavio Ricco
Bala na Cesta
Redação
Redação
Redação
UOL Esporte
Redação
UOL Esporte
UOL Esporte
Bala na Cesta
EFE
EFE
Redação
Redação
Blog do Juca
Bala na Cesta
UOL Esporte
UOL Esporte
EFE
Redação
Redação
EFE
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Topo