Basquete

Como torneio de Ice Cube atraiu figurões da NBA e cativa até celebridades

Mike Stobe/Getty Images
Power e Tri-State se enfrentam na primeira rodada da liga Big3 Imagem: Mike Stobe/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

28/06/2017 04h00

A NBA já acabou, mas no último domingo 15 mil pessoas, entre algumas estrelas norte-americanas, estavam no Barclays Center, no Brooklyn, para ver jogos de basquete. E não eram jogos quaisquer. Os duelos de três contra três comuns nos parques foram levados para o moderno ginásio e tiveram como protagonistas ex-jogadores da NBA. Era a estreia da liga Big3.

Idealizada e promovida por Ice Cube, famoso rapper, ator e produtor norte-americano, a liga reúne ex-jogadores da NBA, em algo semelhante ao que é feito no futebol brasileiro com o showbol. Mas o DNA do torneio é mais parecido ao da NBA. E isso é o que fez a primeira rodada atrair figurões ao ginásio e oferecer um futuro promissor.

A começar pela estrutura do torneio. Cada time tem cinco jogadores e um treinador, que também pode ser "jogador-treinador", caso de Allen Iverson, o grande nome da liga. Oito equipes disputam a competição, e um draft transmitido ao vivo serviu para completar cada elenco.

Não existe uma sede fixa. As dez rodadas, disputadas sempre aos domingos, já têm as dez sedes definidas (Brooklyn foi a primeira). Os oito domingos iniciais são da temporada regular e têm quatro jogos. No nono fim de semana, acontecem as semifinais e, no décimo, a decisão. O palco da final será Las Vegas, tradicional palco de grandes eventos esportivos.

Mike Stobe/Getty Images/AFP
Allen Iverson é a principal estrela entre os ex-jogadores da NBA no Big3 Imagem: Mike Stobe/Getty Images/AFP

Um "velho novo" esporte

O grande trunfo da liga, no entanto, é a própria essência do três contra três. De colégios a faculdades, de parques a quadras simples, o basquete jogado em meia quadra faz parte do dia a dia do amante do basquete. E poder ver ex-jogadores da NBA disputando um torneio nesses moldes é oferecer um "velho novo produto" de sucesso.

As regras também são específicas e, algumas delas, "importadas" das ruas. No caso de rebote defensivo se a bola tocar o aro, por exemplo, o time precisa sair do garrafão até a linha de três para só então iniciar seu ataque. Sempre que uma cesta é feita, o árbitro precisa tocar a bola para o jogo recomeçar.

A partida não é medida por tempo, mas por placar: ganha a equipe que fizer 60 pontos primeiro e com uma vantagem mínima de dois pontos. Ou seja, o jogo não acaba no 60 a 59. O intervalo só acontece quando algum time chega aos 30 pontos.

Como cada time tem apenas cinco jogadores no elenco, não existe falta individual nem eliminação, consequentemente. A partir da quinta falta, o time adversário tem direito aos arremessos livres e à posse de bola.

Kathy Willens/AP
Idealizador do Big3, Ice Cube conseguiu atrair celebridades para arquibancada Imagem: Kathy Willens/AP

Existe uma nova pontuação também: um arremesso de quatro pontos feito a pouco mais de 9 metros de distância da cesta. Tudo para deixar o jogo atraente. Na primeira rodada funcionou. Entre os 15 mil presentes no Barclays Center, estavam personalidades como as atrizes Whoopi Goldberg e Lela Loren, o ator LL Cool J, e estrelas da NBA como Paul Pierce e James Harden.

"Todo ano, o primeiro jogo da NBA era um grande jogo. Eu mal conseguia dormir na véspera. E desta vez senti a mesma coisa. Vou poder dizer pra sempre que fui um dos primeiros jogadores a disputar essa liga", afirmou Rashard Lewis, outro destaque entre os ex-jogadores da NBA.

A Big3 também tem apoio da televisão, já que a Fox Sports fez acordo para transmitir as partidas. Os fãs encontram alguns produtos licenciados para guardar como recordação, como a camisa do destaque de cada time.

A imprensa norte-americana levanta ainda a possibilidade de a Big3 servir como base para a escolha dos jogadores que disputarão o três contra três na Olimpíada, já que a modalidade foi incluída no programa de Tóquio-2020. Mas só o tempo irá dizer se a liga que surgiu para ocupar o vazio deixado pela NBA no verão norte-americano se tornará um grande produto.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Redação
UOL Esporte
Bala na Cesta
Bala na Cesta
EFE
UOL Esporte
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
EFE
Bala na Cesta
EFE
Redação
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Redação
Redação
Redação
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Redação
Redação
Bala na Cesta
UOL Esporte
UOL Esporte
Redação
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Redação
Bala na Cesta
EFE
Bala na Cesta
Redação
Bala na Cesta
EFE
Redação
Reuters
Bala na Cesta
EFE
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Redação
Redação
Topo