Topo

Basquete

LeBron apoia Curry e diz que não é mais uma honra visitar a Casa Branca

John Bazemore/AP Photo
LeBron James, em jogo da pré-temporada do Cleveland Cavaliers em Atlanta Imagem: John Bazemore/AP Photo

Do UOL, em São Paulo

23/09/2017 15h41

LeBron James foi duro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao dizer que costumava ser uma grande honra para os esportistas americanos visitar a Casa Branca até o republicano se eleger. A declaração foi postada no Twitter neste sábado em apoio a Stephen Curry, que afirmou que não queria encontrar Trump. É tradição no país os campeões da NBA e da NFL visitarem a residência oficial em Washington.

Os termos usados por LeBron James foram escolhidos a dedo. Ao desconvidar o Golden State Warriors, Trump afirmou que sempre foi uma honra para os atletas serem recebidos na Casa Branca. O astro do Cleveland Cavaliers respondeu que era uma honra até o atual presidente assumir o cargo. Ao se posicionar desta maneira, ele apoia os dois principais rivais no basquete americano, Kevin Durant e Stephen Curry.

Cleveland e Golden State se enfrentaram na última decisão da NBA e a equipe de LeBron saiu derrotada. Kevin Durant, o MVP das finais, já havia avisado que não iria ao encontro com Trump. Curry afirmou que não gostaria de ir.

O Warriors se pronunciou por meio de um comunicado oficial na mesma tarde: “Nós pretendíamos nos encontrar para discutir uma potencial visita à Casa Branca, mas aceitamos que o presidente Trump deixou claro que não estamos convidados. Nós acreditamos que não há nada mais americano do que cidadãos com direitos de se expressarem livremente”, começou a nota.

“Nós estamos desapontados por não termos a oportunidade de compartilhar nossas visões ou ter um diálogo aberto sobre as questões que impactam nossas comunidades. Nós decidimos que vamos usar a viagem para a capital da nação em fevereiro de forma construtiva para celebrar igualdade, diversidade e inclusão, valores que nós abraçamos como organização”, encerrou o texto.

reprodução/Warriors
Imagem: reprodução/Warriors

A lenda Kobe Bryant, ex-ala armador do Los Angeles Lakers, também disparou críticas a Donald Trump. “Um presidente dos Estados Unidos cujo nome, sozinho, já divide as pessoas e gera raiva, cujas palavras inspiram tanta discórdia e tanto ódio, não poderá ‘tornar a América grande novamente’”, criticou o ex-atleta em sua conta do Twitter, fazendo referência ao famoso slogan que elegeu o republicano.

O treinador do Golden State, Steve Kerr, costuma ser crítico ao presidente. Já disse que Trump é grosseiro e não tem o perfil para ocupar a Casa Branca. Em uma coletiva, ele usou termos ainda mais duros. “O homem que irá nos liderar costuma usar palavras racistas e misóginas”.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!