Topo

Basquete

Mais um troféu para coleção: Kobe leva Oscar de melhor curta de animação

Lucas Jackson/Reuters
Kobe Bryant e o diretor Glen Keane recebem o Oscar por "Dear Basketball" Imagem: Lucas Jackson/Reuters

Do UOL, em São Paulo

04/03/2018 23h51

Não bastassem os troféus na longa carreira na NBA, o ex-jogador Kobe Bryant conquistou neste domingo (4) seu primeiro Oscar. Indicado por "Dear Basketball", curta-metragem em animação, o ídolo do Los Angeles Lakers escreveu e foi o produtor executivo da obra que recebeu a estatueta nesta noite, no Dolby Theatre, palco da maior premiação do cinema.

"Não sei o quanto isso é possível... Nós, como jogadores de basquete, deveríamos calar a boca e driblar", brincou Kobe após receber o prêmio, fazendo uma alusão a um comentário de uma âncora de TV americana, que se referindo a LeBron James insinuou que atletas não deveriam se manifestar politicamente; deveriam calar a boca e driblar.

"Mas fico feliz que fazemos um pouco mais que isso. Obrigado, Academia, por essa honra incrível. Obrigado, John Williams, por uma trilha tão maravilhosa. Obrigado, Verizon, por acreditar no filme. Obrigado Molly Carter, sem você não estaríamos aqui. Agradeço à minha esposa, Vanessa, e às minhas filhas: Natalia, Gianna e Bianka. Te amo com todo o meu coração, vocês são a minha inspiração", celebrou.

Foi a primeira investida do ex-atleta no ramo do entretenimento, ao qual tem se dedicado desde que deixou o esporte. Ele contou com a ajuda de nomes como o do diretor Glen Keane, animador de filmes como "A Pequena Sereia" e "Bela e a Fera", e do compositor John Williams, responsável pela trilha sonora.

Pentacampeão da NBA, além de MVP da temporada regular de 2008 e das finais de 2009 e 2010 - sem falar de dois ouros olímpicos e eleições para o Jogo das Estrelas da NBA -, Kobe iniciou a carreira em outro ramo com o pé direito, levando a melhor sobre "Lou", "Garden Party", "Negative Space" e "Revolting Rhymes", os outros quatro indicados ao prêmio.

"Dear Basketball" é um curta baseado em um poema escrito pelo próprio Kobe Bryant para o site "The Players' Tribune", no qual Kobe anunciou sua aposentadoria do basquete no dia 29 de novembro de 2015.

O astro do Los Angeles Lakers ainda jogou mais uma temporada, que foi uma grande turnê de despedida pelos Estados Unidos. Durante ela, Kobe recebeu homenagens nas arenas de rivais, porém seu desempenho esportivo, assim como o de seu time, não foram dos melhores.

Sua despedida, no entanto, foi memorável: marcou 60 pontos contra o Utah Jazz em uma vitória por 101 a 96. Os Lakers terminaram aquela temporada com 17 vitórias e 65 derrotas, a pior campanha da história da franquia.

Esporte é premiado na categoria Melhor Documentário

O curta de Kobe Bryant não foi o único filme com o esporte como plano de fundo a ser premiado nesta noite. O documentário Ícaro, disponível na Netlix, foi o vencedor em sua categoria.

O longa trata sobre o esquema de doping conduzido pela Rússia, colocando um ciclista amador no país do leste europeu para se submeter aos tratamentos irregulares para tentar vencer uma competição.

No discurso, O cineasta dedicou seu prêmio Rodchenkov e Grigory Rodchenkov, o informante do esquema, o chamou de "um denunciante destemido que agora está em grave perigo". Esperamos que Icarus seja um alerta, também sobre a Rússia, mas na importância de dizer a verdade, agora mais do que nunca", disse Fogel.

Em entrevista após a premiação publicada pelo site "Deadline", o diretor Bryan  Fogel  pediu a renúncia de Thomas Bach do COI. "É claro e simples: Thomas Bach precisa renunciar. Ele é um trapaceiro e o que mostrou para o planeta Terra e para qualquer atleta que acredita no espírito olímpico é não confiar nisso e não confiar nestas palavras. Se você puder comprovar uma fraude desse calibre, que durou por décadas, e em seguida permitir que os 160 atletas do país que cometeu a fraude participem dos Jogos, e depois mesmo que o país não aceite a responsabilidade ou peça desculpas por suas ações, suspender a proibição? Que fraude. Que organização corrupta e que homem que deve se envergonhar. Ele precisa renunciar", disse.

"Eu, Tonya" também é premiado

Filme que conta a história da patinadora Tonya Harding, um ícone da patinação no gelo americano na década de 80, o filme "Eu, Tonya" foi premiado na categoria melhor atriz coadjuvante (Allison  Janney). O filme ainda concorria nas categorias melhor montagem e melhor atriz (Margot Robbie). Veja aqui todos os ganhadores do Oscar.  

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!