Topo

Basquete

São Paulo anuncia Cláudio Mortari como técnico para nova equipe de basquete

Igor Amorim/saopaulofc.net
Para Leco (à esquerda), acerto com Mortari 'é motivo de enorme satisfação para nós'; técnico (à direita) diz que 'é a melhor possível' Imagem: Igor Amorim/saopaulofc.net

Do UOL, em São Paulo

04/12/2018 21h01

O São Paulo terá uma equipe masculina de basquete para participar em 2019 da Liga Ouro, divisão de acesso do Novo Basquete Brasil (NBB). Para tal, anunciou nesta terça-feira (4) o nome do novo treinador de sua equipe: Cláudio Mortari, 70 anos.

Com mais de 40 anos dedicados à modalidade, como jogador e treinador, Mortari esteve no Morumbi para assinar o contrato e definir as primeiras bases de seu trabalho. No banco de reservas, foi campeão mundial em 1979 pelo Sírio e da Liga das Américas em 2013 pelo Pinheiros.

Na chegada ao São Paulo, Mortari celebrou o novo desafio. “Sabemos da importância disso tudo, mas trabalhar no São Paulo nunca vai ser um desafio, será sempre alguma tarefa a ser realizada. Felizmente minha carreira tem sido marcada por êxitos e em alguns deles aconteceram em projetos que começamos da mesma forma que aqui”, disse o técnico, segundo o site oficial do clube.

Leia também:

A diretoria tricolor também festejou o acertou. “Ter um profissional como o Cláudio Mortari encabeçando a nova equipe que estamos formando é motivo de enorme satisfação para nós. É um nome que traz respeito, credibilidade e profissionalismo, pilares que guiaram sua carreira e agora serão muito importantes para formarmos uma equipe competitiva e que honre nossa tradição esportiva”, disse o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

O primeiro desafio do novo técnico é montar o elenco que disputará a Liga Ouro a partir de fevereiro. O torneio dá acesso ao NBB, cuja temporada 2019/2020 começa no fim do próximo ano.

“A perspectiva após as conversas com os dirigentes é a melhor possível, porque você vê que todos estão querendo fazer as coisas darem certo. Isso faz com que já não estejamos mais no ponto zero. É isso que motiva”, concluiu o técnico.