Topo

Basquete


Curry quer ajudar meninos "subestimados" como ele e relata conselho da mãe

Steve Dykes/Getty Images
O jovem Stephen Curry considera que foi "subestimado" por muitos Imagem: Steve Dykes/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

2019-01-09T16:46:18

09/01/2019 16h46

Quem vê a trajetória de Stephen Curry pela NBA nem imagina que ele se sentia menosprezado no início, achou que não teria futuro no basquete e, aos 13 anos, pensou seriamente em desistir do sonho. Para a sorte dos fãs, uma conversa com a mãe mudou sua forma de enxergar as adversidades e o motivou a ajudar outros "subestimados". Todo este relato foi publicado pelo "Player's Tribune".

"Steph, vou dizer isso só uma vez. O seu sonho do basquete será como tiver de ser. Mas NINGUÉM pode escrever sua história além de você. Não serão os olheiros, não será um torneio, e não serão os outros meninos, que podem ser melhores nisso e naquilo. Seu sobrenome também não", afirmou a mãe, Sonya.

Ela se refere ao fato de que o pai de Stephen, Dell Curry, foi jogador da NBA; o sobrenome inevitavelmente colocava pressão sobre o garoto de 13 anos, que era baixinho, magro e sentia que não estava à altura. Olheiros o procuravam apenas para agradar seu pai.

"Estas pessoas ou coisas não podem escrever a sua história. Somente você. Então pense bastante sobre isso, leve o tempo que precisar, e vá escrever a história que quer escrever. Mas saiba que esta história é sua", concluiu a mãe.

A lembrança de seus primeiros anos no basquete o motiva a tentar ajudar meninos que estão passando por estas dificuldades neste momento, no início de suas jovens carreiras. Com base nisso, Curry lançou a "Underrated Tour" ("Turnê Subestimada", em tradução literal).

Trata-se de uma série de "clínicas" ("camps", em inglês, com a intenção de ajudar os jovens talentos em aspectos técnicos) que priorizarão jogadores não-badalados do ensino médio, e é aberto a todos os atletas com avaliação de três estrelas ou menos.

Afinal, Stephen relembra o fato de que recebeu três estrelas de um avaliador quando estava na escola - o máximo é cinco. "É uma clínica para todos os que não querem deixar o resto do mundo escrever suas histórias", afirmou.

Curry já realizou trabalhos de clínicas de basquete anteriormente, mas, desta vez, há uma diferença crucial: o incômodo ao perceber que ele próprio não teria sido convidado para sua clínica quando estava começando.

Segundo a "Forbes", a "Underrated Tour" começa em Los Angeles no dia 19 de janeiro e terá mais seis paradas nos EUA até março. Em Phoenix, no Arizona, a clínica será exclusiva para meninas em idade escolar que queiram evoluir suas técnicas de basquete. Ele já defendeu iniciativas de igualdade de gênero.