Topo

UOL Esporte vê TV


Filha de Grazi em Bom Sucesso quase virou atleta antes de estrelar novela

Giovana Coimbra interpreta Gabriela, uma jovem que sonha em se tornar jogadora de basquete - João Miguel Júnior/TV Globo
Giovana Coimbra interpreta Gabriela, uma jovem que sonha em se tornar jogadora de basquete Imagem: João Miguel Júnior/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

07/08/2019 04h00

Em "Bom Sucesso", nova novela das 19h da "TV Globo", Giovanna Coimbra interpreta Gabriela, jovem que sonha com uma carreira no basquete. Em seu primeiro papel na televisão, a atriz - que faz uma das filhas de Paloma, representada por Grazi Massafera - viu sua história na modalidade cruzar com a da sua personagem no enredo.

Giovanna foi jogadora de basquete e defendeu as cores do Botafogo dos 12 aos 15 anos de idade. A atriz interrompeu a caminhada rumo ao profissional quando o clube carioca acabou com os times femininos da modalidade.

"Fui atleta federada por muito tempo na minha vida. Quando eu fiz 15 anos, o Botafogo acabou com o basquete feminino. Para mim foi uma decepção enorme, porque era um dos meus sonhos. Eu queria ser jogadora profissional. Para continuar e seguir nesse sonho, ou eu saía do estado ou eu saía do Brasil, e minha família não tinha condições de bancar esse tipo de coisa. Foi um fechamento de portas", disse Giovanna, em entrevista ao UOL Esporte.

"Todo ano, a gente era campeão estadual. E o masculino, que quase não ganhava, continuou. Eles falaram que fecharam o feminino porque não tinham mais verba, só que no próximo ano eles contrataram um jogador de outro estado", acrescentou a atriz de "Bom Sucesso".

Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o Botafogo confirmou que acabou com o basquete feminino por falta dinheiro. Segundo o clube, um projeto para a entrada no NBB (Novo Basquete Brasil) permitiu que o time masculino continuasse forte.

"Não tivemos verba para continuar com o feminino no clube e encerramos as atividades. Nesta época, tínhamos um investimento baixíssimo para o basquete e uma promessa de projeto incentivado caso o Botafogo alcançasse o NBB. Então, já existiam algumas empresas com interesse nesse projeto, e o mesmo não acontecia com o feminino, que não tinha um campeonato adulto forte no Brasil nem no Rio, onde os outros grandes clubes também não tinham time", afirmou o diretor de esportes gerais do Botafogo, Gláucio Cruz, ao UOL Esporte.

"Dentro desse cenário, ficou muito difícil dar sequência, e isso exigiria um investimento que não tínhamos para fazer. Pelo masculino, trabalhamos muito para superar todas as dificuldades, montamos o time para jogar a Liga Ouro de 2017 e conseguimos a nossa classificação. A partir daí, já classificado para o NBB, que tem patrocinadores, atrai muita mídia, passa em TV aberta, e é um campeonato reconhecido internacionalmente, tudo veio a acontecer de uma forma mais natural. Hoje, em 2019, podemos dizer que o basquete do Botafogo se sustenta com seus projetos incentivados e patrocinadores", completou.

Novela dá visibilidade ao basquete feminino

Fã de basquete, Giovanna ficou feliz com o destaque que a novela dá à modalidade e, principalmente, à categoria feminina. Em "Bom Sucesso", a personagem Gabriela integra um time masculino pela falta de equipes só para mulheres.

"Eu acho esse assunto fundamental, importante e necessário. A novela dá essa visibilidade para as mulheres, mostra a mulher inserida no esporte, no basquete e tudo mais. Eu já vivi essa realidade. Então para mim, estar interpretando uma jogadora é algo muito visceral", comentou a atriz que dá vida a Gabriela.

Protagonista de Bom Sucesso se sentiu baixinho em visita aos Bulls

UOL Esporte