! Ribeirão vence outra contra Limeira e é tetracampeão paulista - 18/01/2005 - UOL Esporte - Basquete

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  18/01/2005 - 22h41
Ribeirão vence outra contra Limeira e é tetracampeão paulista

Da Redação
Em São Paulo

O COC/Ribeirão Preto manteve sua hegemonia no Campeonato Paulista masculino de basquete. Na noite desta terça-feira, a equipe dirigida por Aluísio Ferreira, o Lula, derrotou o Winner/Limeira por 97 a 90, no ginásio da Cava do Bosque, e conquistou o tetracampeonato estadual.

Com esse resultado, Ribeirão Preto fechou a série melhor-de-cinco partidas por 3 jogos a 0, mostrando amplo domínio contra o time do técnico Zanon. Nos três jogos, o COC foi mais consistente e sempre ganhou com larga vantagem. No primeiro duelo, foram 17 pontos em Piracicaba e, no segundo, 18 em Ribeirão Preto.

A hegemonia atual de Ribeirão Preto no Estadual se iguala à do Espéria no fim da década de 30, quando a equipe foi campeã em 1935, 36, 37 e 38. O Corinthians é o time que ficou no topo por mais tempo, sendo campeão em 1947, 51, 52, 54 e 55 (não houve disputa em 48, 49, 50 e 53).

O tetracampeonato coroa uma campanha quase perfeita de Ribeirão Preto, que só perdeu cinco jogos. Dois deles foram na difícil semifinal contra o Paulistano, em que a equipe fez 3 a 2 na série melhor-de-cinco. As outras derrotas foram nas fases de classificação para Paulistano, Franca e Corinthians/Mogi.

O título, porém, só foi assegurado nos últimos minutos do jogo, já que a equipe de Limeira se manteve no páreo durante quase todo o jogo. O time de Zanon só ficou para trás no marcador quando faltavam cinco minutos.

Ribeirão Preto começou a abrir vantagem no início da partida e, sem que obtivesse reação do adversário, chegou a fazer 13 pontos de frente. No segundo quarto, Limeira melhorou e passou a equilibrar as ações. Duda, que veio do banco de reservas, e Telmo eram os principais atletas do time, que terminou o primeiro tempo na frente, com 52 a 48.

No terceiro quarto, Ribeirão partiu com tudo para cima, mas não encontrou facilidade do outro lado. Sem Nezinho, que era poupado no banco, Murilo e Arthur foram as principais ofensivas da equipe do técnico Lula.

Quando faltavam cinco minutos, Limeira vencia por 62 a 60. Mas Arthur acertou três arremessos da linha de três pontos, enquanto Murilo marcou outros seis pontos dentro do garrafão para levar Ribeirão à liderança do placar por 75 a 72 ao fim do terceiro quarto.

Nos últimos dez minutos, Limeira teve muita dificuldade para passar pela forte defesa de Ribeirão. Com isso, as principais opções eram os arremessod e longa distância. Com os seguidos erros, sobraram contra-ataques para o time de Lula.

Para piorar a situação dos limeirenses, Telmo teve de deixar a quadra com quatro faltas. Quando faltavam cinco minutos, Ribeirão já abrira vantagem de 87 a 78. A partir daí, a diferença se estabilizou em torno dos 10 pontos, cabendo a Limeira arriscar.

Precipitado, o time de Limeira cometeu erros em dois ataques consecutivos, com Duda e Taylor na posse de bola, e permitiu que os anfitriões abrissem 14 pontos de vantagem. Depois disso, só restou a Ribeirão administrar o resultado para garantir o tetrcampeonato.

O melhor jogador da partida foi o pivô Murilo, decisivo no terceiro quarto. Ele marcou 26 pontos e pegou 11 rebotes, conseguindo um "double-double" (dois dígitos em dois quesitos). Pelo time de Limeira, os melhores foram Taylor, com 18 pontos, e Rodrigo Bahia, com 16 pontos e 8 rebotes.

E o técnico Lula Ferreira só comemorava após a partida, sem fazer distinção entre os quatro títulos que ajudou Ribeirão a conquistar. "Título é que nem filho, pode ser o primeiro, segundo ou o décimo que é sempre uma grande emoção", disse. "O time de Limeira foi um verdadeiro adversário de final. A série foi 3 a 0, mas foi uma dificuldade enorme."


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias