! Paulinho troca o Corinthians/UMC por time da China - 01/03/2005 - UOL Esporte - Basquete

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  01/03/2005 - 20h36
Paulinho troca o Corinthians/UMC por time da China

Da Redação
Em São Paulo

O armador Paulinho, do Corinthians/UMC, vai se transferir para o basquete da China. O atleta, indicado pelo pivô Olívia, embarca no próximo dia 4 para defender o clube de Pequim na disputa dos playoffs do Campeonato Nacional Chinês.

"A negociação foi muito rápida. Recebi o convite e já fui conversar com a diretoria do Mogi (Corinthians/UMC). Eles entenderam que será bom para a minha carreira, tanto no aspecto profissional como o financeiro, e me liberaram", explicou o jogador no início da noite desta terça-feira.

O atleta teve apenas dois dias para providenciar toda a documentação necessária, inclusive a transferência por parte da Confederação Brasileira de Basquete (CBB). "Acabei de assinar os papéis aqui no escritório da CBB. Estou voltando para Mogi para arrumar as malas", afirmou Paulinho, que viajará acompanhado da noiva Camila.

Paulinho deverá preencher a vaga deixada pelo próprio Olívia na equipe. O pivô, que mantinha uma média de 15 pontos e 5 rebotes por jogo, sofreu uma séria contusão no joelho. Ele volta ao Brasil nos próximos dias para passar por cirurgia e precisará ficar um tempo fora das quadras para se recuperar.

A diretoria do Corinthians/UMC reconheceu que a proposta do time de Pequim ao ala Paulinho era difícil de ser coberta. "Além disso, não podíamos impedir que o atleta, que é muito querido aqui em Mogi, deixasse de aproveitar esta oportunidade. Entendemos que será muito bom também para o amadurecimento dele como atleta" explicou Maurício Machado de Melo, presidente do Mogi das Cruzes Basketball Clube (MCBC).

Melo frisou que a situação do time no campeonato não permitiria que a diretoria do clube liberasse um jogador como Paulinho, mas em virtude da proposta recebida pelo atleta, não poderia impedir que ele (Paulinho) aproveitasse esta oportunidade. "Ele teve o talento reconhecido. Foi uma decisão difícil de ser tomada, mas acreditamos que decidimos da forma mais sensata possível", definiu Melo.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias