Topo

Esporte


"Não sabe nada de luta", diz técnico que treinou suspeito de matar advogado

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

2019-05-23T17:46:57

23/05/2019 17h46

O treinador Gabriel Ribeiro diz ter ficado surpreso quando viu o lutador Igor Uriel Tron Pereira Lomba entrar na sua academia ontem (22) pedindo ajuda para se livrar da cadeia após supostamente ter agredido e causado a morte de uma pessoa horas antes.

Lomba acabou preso suspeito de matar o advogado André Luiz Caldas após uma discussão em um bar próximo à praça Varnhagen, na Tijuca, zona norte do Rio. Ele postou uma foto da vítima no Instagram e foi à academia Delfim, também na Tijuca, onde costumava treinar no ano passado. "Ele treinou boxe comigo uma vez no ano passado e vi que ele era muito ruim. Não sabe nada de luta e tinha uns papos tortos. Dizia que fazia e acontecia. Logo percebeu que não se criaria com a gente", disse o treinador.

Reprodução
Igor Lomba foi preso na porta da academia onde treinava Imagem: Reprodução

Apesar de Igor Lomba se apresentar como lutador jiu-jitsu, o treinador afirma não se lembrar de ele já ter treinado outras modalidades além de boxe e musculação na academia, que é uma das mais tradicionais no pugilismo carioca.

Depois de uma conversa com o gerente da Delfim, na qual teria confessado o crime, o suspeito foi preso pela Polícia Civil e deve responder por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Ribeiro acredita que o ex-aluno tenha procurado a academia porque no local existe um projeto que busca dar uma segunda chance a egressos do sistema prisional. "Temos quatro caras que treinam aqui e são ex-detentos, tem policial treinando aqui. Eu conheço o pessoal desse meio. Certamente ele achou que vindo aqui ele teria um seguro. Pediu para eu acompanhar ele na delegacia, mas mandei logo ele se f... pra lá", afirmou o treinador.

A academia Delfim ganhou notoriedade em 2016, quando serviu de centro de treinamento para várias delegações internacionais que disputaram o torneio de boxe da Olimpíada.

Reprodução
O advogado André Luiz Caldas trabalhava com direito previdenciário em escritório no RJ Imagem: Reprodução

Segundo colegas de André Luiz Caldas, o advogado de 44 anos estava bebendo em um bar da Tijuca quando teria falado alguma coisa que irritou Igor Lomba. Após as agressões, Lomba postou no Instagram uma foto do advogado ensanguentado com a frase: "Tenta aí que o azar é certo .meche [sic] com quem está quieto, crav_maga [sic]. Muita, fé [sic], vai babá [sic] sangue se entrar no meu combo!" Krav Magá é um estilo de luta israelense conhecido por oferecer técnicas de defesa pessoal.

O advogado chegou a ser socorrido com vida, mas não resistiu às lesões na cabeça e no abdômen. O escritório em que ele trabalhava afirmou que deve indicar um advogado criminalista para atuar como assistente de acusação do Ministério Público no caso.

Não é a primeira vez que Igor Lomba entra em conflito com a Justiça. O lutador, que aparece como dono de uma empresa de segurança privada, a Tron Segurança, respondia em liberdade pelo crime de ameaça no âmbito da lei Maria da Penha. A data da próxima audiência de instrução e julgamento está marcada para o dia 23 de julho.

A reportagem não conseguiu encontrar a defesa do suspeito.

Mais Esporte